O-que-é-o-Experimento-de-Pasteur

Louis Pasteur foi um cientista francês que, através de seu experimento mais famoso, conseguiu comprovar que os seres vivos se originam somente a partir de outros seres vivos. O conhecido experimento de Pasteur aconteceu em 1860 e foi uma revolução para ciência da época, pois quebrou a teoria da abiogênese ou geração espontânea, que admitia que os seres vivos se originariam de matéria bruta.

O experimento aconteceu da seguinte forma: Pasteur separou 4 frascos de vidro com gargalos compridos. Encheu-os de matéria nutritiva e ferveu-os. Depois que eles esfriaram, percebeu que não havia matéria viva em nenhum dos frascos. Então, ele cortou os gargalos dos frascos que formavam uma espécie de filtro barrando o contato da matéria nutritiva com o ar.

Ao fazer isso, deixando os frascos livres e em contato com o ar, o cientista francês percebeu que os microrganismos existentes no ar, ao entraram em contato com a matéria nutritiva dos frascos, ali encontraram as condições necessárias para o seu desenvolvimento. A partir disso, Pasteur demonstrou que o líquido com material nutritivo ao ser fervido não perde a sua força vital, tal como defendiam os adeptos da abiogênese. Mesmo sendo fervida, a matéria nutritiva, ao entrar em contato com o ar encontrou ali de qualquer maneira as condições necessárias para se desenvolver.

Portanto, Pasteur derrubou a teoria da geração espontânea com esse seu experimento. Nenhum ser se desenvolve a partir de matéria não-viva, sempre há a necessidade de que exista matéria viva para ocorrer o desenvolvimento de qualquer tipo de vida. Desde então, a teoria da abiogênese é refutada pela ciência.

Não é difícil reproduzir o experimento de Pasteur em sala de aula. Ainda mais com o conjunto básico para laboratório da Homelab que conta com todos os materiais para isso. Nada como deixar as teorias dos livros de biologia mais claras para os alunos através da prática.

Compartilhe
0 comentários

Cientistas-Modernos-Carl-Sagan

Carl Sagan (1934-1996) foi um cientista, astrônomo e escritor do século XX que ficou mais conhecido pelos seus trabalhos de divulgação científica através da série Cosmos: Uma viagem pessoal exibida pela BBC no ano de 1980. Conhecido como um dos nomes científicos mais carismáticos que já existiram, escreveu mais de 600 publicações e 20 livros de ciência e ficção científica.

Seu trabalho foi pioneiro no sentido de tornar a ciência acessível ao público não especializado. Através de uma linguagem científica-filosófica, Sagan conquistou milhões de fãs ao redor do mundo, tendo seu nome hoje associado ao de ícone pop no campo da ciência. Foi um defensor árduo do ceticismo e do método científico, apesar de ter também sido um grande especulador de ideias, promovendo a busca por inteligência extraterrestre através do projeto SETI, que enviou mensagens dentro de sondas espaciais, tentando informar as possíveis formas de vida inteligente sobre a existência humana.

Para Sagan, “nós somos uma maneira de o cosmos se autoconhecer”, afinal, se somos feitos de poeira das estrelas organizada sistematicamente para formar seres dotados de consciência e inteligência, então podemos dizer que cada um de nós representa o universo pensando sobre si próprio. Portanto, nós, humanos, não somos assim tão diferentes da realidade física que nos cerca, com que interagimos constantemente e que estamos apenas começando a entender. Assim, cada ser humano e o cosmos estão intimamente conectados. Dessa forma, cada um de nós é um pequeno universo.

Cada um de nós é um pequeno universo dentro de um ponto azul e pálido que habitamos, o planeta Terra. “Uma das grandes revelações da era da exploração espacial é a imagem da Terra, finita e solitária, de alguma forma, vulnerável, transportando a espécie humana inteira pelos oceanos do espaço e do tempo” diria Sagan. Nós somos assim, pequenos e solitários universos dentro de um universo infinito e desconhecido. E o quanto de nós mesmos nós realmente conhecemos? O pensamento de Sagan aponta para o fato que, ao olhar para as estrelas, todos conseguimos ver um pouco de nós próprios olhando para dentro de nós mesmos.

Compartilhe
1 comentários

1805-homelab-fb-24-blog-sucesso-educar-banner-blog

A Bett Educar é o evento mais esperado do ano por nós da Homelab, pois nela divulgamos nossos resultados de um ano de esforço e trabalho. Foi com muito carinho e cuidado que montamos nosso stand para trazer para a feira as melhores novidades e tendências do mercado da educação. Lá fizemos contatos, novas parcerias e conhecemos muitos interessados na melhor forma de ensinar a ciência dentro de suas escolas.

A ciência é um campo em constante renovação e por ela trabalhamos com muita energia, trazendo sempre as principais formas de inovação dentro do escopo da educação. Assim, mantemo-nos como uma empresa que busca a excelência, com produtos exclusivos que proporcionam uma forma mais didática de trazer para as escolas o ensino da ciência. Já estamos nos preparando para a próxima Bett Educar, nos vemos em 2019!

Compartilhe
0 comentários

img_7502

A melhor forma de tentar explicar as diferenças e intersecções entre geografia e geopolítica é estabelecer como alegoria de pensamento um limiar: não existe uma fronteira ou uma linha que delimite exatamente essas disciplinas, mas um limiar, um espaço de intersecção entre elas que fazem com que dialoguem constantemente.

Enquanto a geografia se volta mais para a natureza e os aspectos populacionais, geológicos e físicos de determinado território; a geopolítica investiga de que maneira esses territórios são delimitados e se afirmam política e culturalmente de acordo com a sociedade que os habita.

Além disso, a geopolítica também investiga os processos históricos que permeiam tais territórios, como aquela sociedade e sua cultura se formou ali e como seus aspectos políticos se estabeleceram e decorrem progressivamente diante da realidade contemporânea.

Para simplificar, podemos dizer que a geopolítica trata das relações de poder dos Estados Nacionais de determinados territórios, enquanto a geografia trata de seus aspectos naturais e populacionais. Assim, a geopolítica é uma área que conversa o tempo inteiro com a geografia, podendo ser considerada sua subárea.

Para compreender melhor aspectos geopolíticos do mundo, a Homelab possui um globo iluminado 3 em 1: físico, político e histórico. Quando apagado, o globo mostra a configuração física e política dos territórios. Quando aceso, ele mostra as dinâmicas históricas que deram origem aos territórios nacionais modernos. É um excelente produto para demonstrar as diferenças e intersecções entre geografia e geopolítica em sala de aula.

Compartilhe Tags
0 comentários
Homelab Pocket – Edição 28 – Maio 2018 – Com o tema “O fascinante mundo da astronomia”. Também falamos sobre a eletroeletrônica no nosso dia a dia, falamos sobre gravidez e mostramos o Raio-X do Conjunto Proporções, destinado ao estudo de razões, proporções e triângulos semelhantes.
Homelab Pocket – Edição 28 - Maio 2018
Compartilhe conosco suas opiniões aqui nos comentários e também nas redes sociais.

Sobre a Homelab Pocket

A Homelab Pocket é uma publicação mensal da Homelab – A Casa do Laboratório para professores, gestores e diretores, falando sobre as novidades sobre ciências, tecnologias e equipamentos laboratoriais para as mais diversas áreas do ensino.

Gostou da Homelab Pocket – Edição 28 – Maio 2018?

Veja as outras edições já publicadas clicando aqui.

Compartilhe Tags
0 comentários

Homelab na Educar 2018

Homelab na Educar 2018

A Bett Educar entende a inovação e o uso de tecnologias como meios essenciais para a transformação da educação. O Congresso Bett Educar 2018 terá como tema a implementação de duas importantes políticas educacionais: a Base Nacional Curricular Comum e a Reforma do Ensino. Uma ótima oportunidade para educadores que estão em busca de atualização e transformação.
Como em todos os anos, nós estaremos presentes, levando inovação, novas ideias e conhecimento para professores e gestores de todo o Brasil. Serão quatro dias de muito bate-papo, lançamentos, distribuição de brindes e surpresas. Confira abaixo a programação do nosso stand:

09/05 – Artistas farão caricaturas de clientes. Teremos um professor de física à disposição para tirar dúvidas.
10/05 – Jogos com brindes. Teremos um professor de física à disposição para tirar dúvidas.
11/05 – Sorteio com o Sr. José Ribeiro. Teremos um professor de física à disposição para tirar dúvidas.

Além disso, teremos a exposição e demonstração de produtos! Esperamos sua visita! Nosso stand é o número 128E. A entrada para a feira é gratuita e pode ser feita aqui.

Quer saber mais? Confira nossos artigos sobre o evento.

Homelab na Educar 2018 – Saiba Mais

Novidades para a Bett Educar 2018

Bett Educar 2018 – Por quê visitar

O efeito estufa é um fenômeno natural da Terra e serve para manter sua temperatura constante em sua superfície. Ele ocorre porque a atmosfera é altamente transparente à luz solar, porém, mais ou menos 35% da radiação recebida será refletida para o espaço, ficando 65% retida na Terra. Isso acontece principalmente graças ao efeito dos raios infravermelhos sobre gases como o dióxido de carbono, metano, óxidos de azoto e ozônio presentes na atmosfera terrestre que retém a radiação na superfície da Terra, mantendo o calor no planeta, não sendo ele totalmente refletido para o espaço.

Assim, o efeito estufa é essencial para a manutenção da vida na Terra, pois ele resguarda as condições ideais para o equilíbrio de nossos ecossistemas. Quando a Terra produz uma quantidade maior dos gases relacionados ao efeito estufa, acaba superaquecendo, desestabilizando o equilíbrio energético do planeta, o que resulta no aquecimento global. As principais responsáveis por esse desiquilíbrio são as emissões de gases poluentes derivados da queima de combustíveis fósseis.

Para criar um simulador do efeito estufa na atmosfera terrestre, você irá precisar de:

— Dois copos de água

— Papel alumínio

— Um recipiente retangular opaco, como uma caixa de sapatos

— Tesoura

— Filme plástico

Modo de fazer:

Forre a caixa com o papel alumínio e coloque dentro dela um dos copos de água. Tampe a caixa com o filme plástico. Coloque a caixa abaixo da luz de uma lâmpada ou da luz do Sol. Deixe o outro copo de água ao lado da caixa, mas fora dela.

Após 10 minutos, coloque o dedo dentro dos dois copos de água, o que ficou dentro e o que ficou fora da caixa, e sinta qual deles está mais quente.

Você irá perceber que a água no copo que ficou dentro da caixa está mais quente, isso porque, dentro do simulador de efeito estufa representado pela caixa, o calor foi retido em seu interior. Ao iluminar a caixa, a luz passa pelo filme plástico, que representa a nossa atmosfera, e se transforma em calor ao atingir a superfície interna. O ar é aquecido, apesar de a energia ser parcialmente refletida pelo papel alumínio, mas como nem toda a energia consegue deixar a caixa graças ao filme plástico, a temperatura interna da caixa aumenta, aquecendo mais a água do copo. Já a água do copo que ficou fora da caixa acaba perdendo sua energia para a temperatura ambiente, já que ela está fora do simulador de efeito estufa.

Utilize o kit de ciências múltiplas da Homelab para executar esse e outros experimentos em sala de aula. Assim, a explicação sobre os conceitos da ciência pode ser muito mais didática para seus alunos.

 

 

Compartilhe Tags
0 comentários

Faltam menos de 15 dias para o maior evento de tecnologia e educação da América Latina! A Bett Educar é uma ótima oportunidade para expandir sua rede de contatos, conferir as últimas tendências, novidades e participar de importantes discussões sobre educação.

Novidades para a Bett Educar 2018

Nossa participação está garantida! O Gerente de Relacionamento, Celso Rocha, também estará presente para compartilhar sua história e experiências.
Visite nosso stand! Veja mais informações aqui.

A programação do evento está imperdível, com conteúdos inovadores, palestras e workshops de três horas de duração, nas quais os profissionais aprenderão técnicas e competências importantes para aplicar no dia a dia da escola.

Novidades para a Bett Educar 2018

Inscreva-se e garanta já sua vaga para o Congresso Bett Educar 2018.  As vagas são limitadas!

Novidades para a Bett Educar 2018

Confira os horários de realização do evento:
08/05 – 08h30 – 19h;
09/05 – 09h – 19h;
10/05 – 09h – 19h;
11/05 – 09h – 19h
Local: Rod. dos Imigrantes, km 1,5 – São Paulo/SP

Nas aulas de morfologia vegetal, uma forma inteligente de demonstrar os diferentes tipos de plantas e de brotamento é através do berçário de mudas da Homelab. Dividido em 5 compartimentos, o berçário permite a análise de como as plantas reagem à fatores externos como solo, irrigação, adubagem, mistura com soluções ácidas ou básicas e hormônios.

Por exemplo, cada compartimento pode ser preenchido com amostras de diferentes tipos de solo:

  1. Solo orgânico, rico em matéria orgânica e húmus
  2. Solo inorgânico, rico em material inorgânico como minerais
  3. Solo argiloso, composto por argila (30%), alumínio e ferro
  4. Solo arenoso, composto por areia (70%), argila (15%) e outros materiais orgânicos (15%)

Um mesmo tipo de semente deve ser semeado em cada tipo de solo e, ao decorrer do semestre, o professor e os alunos observam as diferentes formas de brotamento e crescimento da planta, tirando suas conclusões.

Outro exemplo seria utilizar o mesmo tipo de solo em todos os compartimentos, praticando tipos de irrigação diferentes para cada um, chegando, ao passar do tempo, à conclusão de qual o melhor tipo de irrigação para a planta em questão. Também, pode-se testar diferentes formas de adubo e como elas influem no crescimento da planta, utilizando diferentes medidas da solução para cada compartimento.

E mais uma possibilidade de utilização do berçário de mudas, muito útil para as aulas do Ensino Médio, seria semear uma classe de plantas em cada compartimento: briófita, pterodófita, gminosperma e angiosperma, acompanhando ao longo do semestre como elas crescem e se desenvolvem em condições favoráveis. Assim, os alunos podem experienciar na prática as diferenças morfológicas de cada classe, fixando melhor o aprendizado sobre botânica.

Compartilhe Tags
0 comentários

Você sabia que o cérebro humano tem a consistência de um tablete de manteiga, sendo que, como o laticínio, 60% dele é composto por gordura? Ele pesa em média 1,36kg, comportando cerca de 100 bilhões de células nervosas. Nosso cérebro é mais poderoso do que qualquer computador já inventado, com um processamento de dados de 3 mil GHz. Cada impulso nervoso viaja pelo processador desse computador orgânico a uma velocidade superior a 400km/h, assim como, quando tocamos algo, enviamos uma mensagem para o cérebro numa velocidade de 200km/h.

Outra curiosidade interessante sobre o cérebro humano é que ele fica mais ativo justamente quando dormimos. Na fase REM (sigla para Rapid Eye Moviment) do sono, áreas do cérebro são desativadas, fazendo com que o corpo fique paralisado, por isso não caímos da cama. Quando uma pessoa está acordada, seu cérebro gera mais ou menos 25 watts de energia, o suficiente para acender uma lâmpada.

Se o cérebro ficar sem oxigenação por um período entre 5 e 10 minutos, os danos causados são irreversíveis. Não é possível reparar completamente algum dano feito a uma célula nervosa. Cada neurônio estabelece de 1 mil a 10 mil conexões com outros neurônios e, fazendo as contas, nosso cérebro chega a fazer 10 trilhões de conexões em toda a sua área. O órgão possui cerca de 25 mil centímetros quadrados. Cada vez que uma memória é criada, novas conexões entre os neurônios são feitas.

Para ensinar essas e outras curiosidades sobre o cérebro humano, utilize em sala de aula o cérebro com artérias em 9 partes da Homelab e deixe sua aula muito mais didática!

Compartilhe Tags
0 comentários