IMG_8209Ciências e experimentação são coisas inseparáveis. A comprovação e a verificação prática de conceitos estudados é que dá todo o suporte para a aplicação e validação para as mais diversas teorias formuladas. Na escola, as experiências e aulas práticas são uma maneira de engajar mais os alunos, tornando o ensino de disciplinas como Física, Química e Biologia mais dinâmico e atrativo, além de despertar o interesse do estudantes e, quem sabe, fazer com que mais pessoas sigam um futuro ligado aos estudos científicos.

A Física é vista por muitos profissionais da Educação como uma matéria difícil de ser ensinada. A dificuldade dos professores em construir aulas de forma mais contextualizada e funcional acaba provocando também desinteresse por parte dos estudantes e consequente dificuldade na aprendizagem do conteúdo. Vale ressaltar, porém, que isso não é culpa do educador. Conseguir ensinar a Física de forma conceitual e apenas com aulas teóricas e expositivas exige muita criatividade e dinamismo do profissional a fim de tornar a matéria interessante e mais facilmente assimilável.

Por isso, a experimentação se faz tão importante no ensino da Física. A aplicação prática dessa disciplina auxilia a despertar a análise crítica e a capacidade de resolução de problemas nos alunos, além de construir conteúdos de forma mais consistente, já que foram os próprios estudantes que construíram esse conhecimento.

Os conceitos da Física estão presentes no nosso cotidiano. É possível utilizar esses exemplos com o objetivo de trazer esses conhecimentos para mais perto da realidade do aluno, motivando os estudos e colocando-os em contato com a ciência. Do movimento de um carro ao comportamento das ondas da luz, os fenômenos físicos estão ao nosso redor e podem ser experimentados de forma simples, sem necessariamente haver a necessidade de equipamentos caros ou laboratórios de ponta.

Pensando nisso, trazemos a seguir 5 experimentos simples de Física que podem ser feitos em sala de aula.

1.Dilatação

Nessa experiência, você precisará de papel alumínio, uma folha de papel bem fina, uma pinça e uma vela. Primeiro, pegue uma tira de papel alumínio com a pinça e a coloque sobre a vela acesa. O alumínio é um metal e apresenta grande dilatação quando exposto ao calor. Porém, neste caso, não poderemos constatar nenhuma alteração na tira.

Em seguida, corte uma tira de papel e uma tira de alumínio do mesmo tamanho e coloque uma sobre a outra. Com a pinça, posicione-as sobre o fogo, com a parte de metal para baixo. Você poderá observar que a lâmina vai se curvar para cima, ficando bem arqueada. Isso acontece porque o alumínio se dilata bem mais que o papel, empurrando a tira para cima.

2.Pressão Atmosférica

Essa experiência é para demonstrar os efeitos da pressão atmosférica. Para realizá-la, você vai precisar apenas de uma vela, de um copo de vidro, de uma bexiga cheia de ar e um recipiente raso com água. Primeiro, esquente o ar dentro do copo colocando-o com a boca virada sobre a vela. Em seguida, encoste a bexiga na boca do copo, vire-o para cima e coloque-o dentro do recipiente. Espere que a água resfrie o ar dentro do copo. Aguarde um instante e puxe a bexiga para cima. Você vai ver que o copo está “grudado” ao balão e não cairá quando você levantá-los.

Por que isso acontece? Quando o ar de dentro do copo foi resfriou, a pressão interna diminuiu. Com isso, a pressão atmosférica empurra a bexiga para dentro do copo, fazendo com que fique preso. Ao realizar o experimento, é possível perceber que a pressão é tanta que é necessária certa força para conseguir “desgrudar” o balão do copo.

3.Princípio de Pascal

Nesse experimento, você precisará de uma garrafa PET transparente cheia de água, uma tampa de caneta esferográfica e massa de modelar. Comece fechando a abertura na ponta da tampa da caneta com a massinha para evitar que a água entre. Depois, faça uma bolinha com a massa de modelar do tamanho aproximado de uma moeda e espete na parte de baixo da tampinha. Abra a garrafa, coloque o “submarino” dentro dele e feche. Agora, aperte levemente a garrafa e observe como a peça submerge até o fundo da garrafa. Alivie a pressão e veja como ela sobe novamente à superfície.

Mas o que acontece? Dentro da tampinha, existe um pequeno reservatório de ar. O conjunto tampa, massinha e ar é, neste momento, menos denso que a água dentro da garrafa. Na hora em que se aperta a garrafa, cria-se uma pressão que faz com que o reservatório de ar diminua. Porém, como a massa é conservada, eles acabam se tornando mais densos que a água e afundam.

Com isso, podemos comprovar o Princípio de Pascal, que diz que a pressão exercida sobre um líquido transmite-se por igual para todos os pontos desse fluido, inclusive para as paredes do recipiente que o contém.

4.Refração

Para esse exercício você vai precisar de um copo, água e poliacrilato de sódio, produto com grande capacidade de absorção e utilizado na jardinagem. Esse experimento é muito simples: encha o copo com água, acrescente as esferas de poliacrilato e aguarde cerca de uma hora. Seu alto poder de absorção vai fazer com que elas cresçam bastante de tamanho. Você pode repetir o processo com outros copos cheios com água com diferentes corantes em cada um. Depois de absorvida toda a umidade, coloque as esferas incolores em um recipiente e as coloridas em outro. Encha os dois com água e veja as esferas transparentes desaparecerem.

Isso acontece porque esse material possui um índice de refração muito próximo ao da água, fazendo com que a luz passe diretamente pelas esferas, tornando-as invisíveis.

5.Tensão Superficial

Esse experimento é bem simples e você só vai precisar de um copo, água e moedas. Comece enchendo o copo com água até a boca. Coloque as moedas dentro do copo com cuidado, uma a uma. Ao adicioná-las, observe como se forma uma proeminência de água que chega a se elevar em relação à boca do copo, porém, sem transbordar. Esse fenômeno chama-se tensão superficial. Ela atua como uma membrana que impede que a água transborde, mesmo com o copo cheio. Isso acontece devido à força de coesão entre moléculas semelhantes, sendo atraídas pelas outras abaixo e ao lado delas, criando uma espécie de película.

A introdução à Física por meio de experimentos de fácil compreensão pelo alunos é essencial para despertar o interesse pela disciplina, tornando  a aprendizagem dessa disciplina mais dinâmica e menos maçante. A comprovação e aplicação prática dos conceitos estudados em sala pode dar aos alunos a motivação necessária para os estudos, esperanto o pensamento crítico e aguçando capacidades investigativas.

Tudo isso pode ser conseguido através de experiência simples de realizar e acessíveis aos estudantes. Ao observarmos o que está ao nosso redor, podemos tentar explicar os fenômenos do nosso cotidiano com os conceitos da Física. Essa abordagem mais próxima à realidade dos estudantes facilita a contextualização do conhecimento, tornando-a mais fácil de assimilar e fazendo com que cada vez mais estudantes se interessem pela ciência.

A Homelab tem uma completa linha de produtos científicos para ajudar você a construir aulas de ciências mais produtivas e dinâmicas. Acesse o nosso site, conheça nossas soluções e faça um orçamento!

Compartilhe Tags
3 comentários

    Comentários

  1. Helder Esmael
    18 de maio de 2017 às 08:06

    Legal d +++++ essas experiencias
    Bom trabalho que voce faz. Parabéns

  2. Joao santana
    19 de agosto de 2017 às 20:21

    gostei muito do blog,ira nos auxiliar muito no estudo das ciencias

  3. Raquel
    1 de setembro de 2017 às 02:39

    Sao experiências muitos boas, e me ajudaram muito nas minhas aulas de fisica.

Deixe seu comentário