Sem categoria

blog

A comprovação e aplicação prática de conceitos teóricos é o que suporta e valida as diferentes teorias científicas. Por isso, podemos afirmar que ciências e experimentação são coisas indissociáveis. No ambiente escolar, as aulas práticas são uma importante ferramenta para engajar os alunos, uma vez que dão a eles o poder de comprovar os conceitos estudados em sala de aula. Isso torna o ensino mais dinâmico e atrativo, além de despertar o interesses de cada vez mais estudantes em seguir um futuro dedicado às ciências.

Uma das disciplinas que pode tirar proveito das aulas experimentais é a Física. A aplicação prática dos conceitos dessa matéria auxilia na formação de alunos com melhor capacidade de análise crítica e de resolução de problemas, além de ajudar o professor a ministrar o conteúdo de forma mais consistente, já que foram os próprios estudantes que construíram e comprovaram esse conhecimento.

Tentar ensinar a Física e seus conceitos apenas por meio de aulas expositivas e teóricas é desgastante, exigindo muito dinamismo do educador para conseguir tornar a matéria interessante e de fácil compreensão. A impossibilidade de aplicação prática e contextualizada desses conhecimentos é um grande desafio e resulta em desinteresse por parte dos alunos. Por isso, a experimentação é essencial no ensino dessa disciplina tão importante.

Para aprender e ensinar Física, não são necessários equipamentos caros e laboratórios refinados. Seus conceitos estão presentes no nosso cotidiano, nos cercando a todo instante. Sendo assim, é possível utilizar acessórios simples e até mesmo objetos do dia a dia para trazer esse conhecimento cada vez mais para perto da realidade do aluno, colocando-o em contato com a ciência.

Pensando nisso, trazemos hoje um exemplo de experimento científico simples para ser realizado em sala de aula com os alunos do Ensino Médio. O objetivo é reconhecer o chamado efeito Doppler, utilizando e relacionando-o com ocorrências do cotidiano de todos nós. Mas, primeiro, vamos entender um pouco mais sobre isso.

O Efeito Doppler

Este efeito é um fenômeno físico descrito como uma característica que pode ser observada nas ondas emitidas ou refletidas por um objeto em movimento em relação ao observador. Seu nome faz referência ao físico austríaco Christian Johann Doppler, o homem responsável por estudar e descrever esse fenômeno.

O efeito Doppler consiste na alteração da frequência das ondas sonoras emitidas por uma fonte em movimento em relação a um observador estacionário. Um exemplo clássico para melhor compreensão desse efeito é o caso de uma ambulância com a sirene ligada quando ela se aproxima, passa pelo observador e se afasta. Ao chegar mais perto, ocorre um encurtamento do comprimento de onda e a frequência será menor, fazendo com que o observador perceba uma tom mais agudo no som. Ao se afastar do observador, o oposto acontece: há um alongamento do comprimento dessas ondas, agora percebidas em tom mais grave.

O efeito Doppler não ocorre somente com ondas sonoras, sendo um fenômeno característico de quaisquer propagações ondulatórias e muito comum no nosso dia a dia. Radares meteorológicos, por exemplo, se baseiam nesse efeito para realizar a previsão do tempo por meio da medição de ondas eletromagnéticas. Astrônomos utilizam o Efeito Doppler na observação de estrelas e outros planetas. Já na Medicina, esse fenômeno é utilizado nos exames de ecocardiograma, permitindo que cardiologistas visualizem as estruturas do coração e seu fluxo sanguíneo.

O Diapasão

É um instrumental metálico em forma de ‘U’, utilizado para auxiliar na afinação de instrumentos musicais e vozes, por meio da vibração sonora. Inventado em 1711 pelo músico britânico John Shore, esse instrumento permite determinar as características de um som relacionadas à frequência de vibração das ondas sonoras. Ao ser golpeado, os dois braços do diapasão vibram em uníssono, produzindo uma determinada frequência, normalmente 440 Hz, relativo a nota Lá. A partir desse som, músicos podem trabalhar o afinamento.

O diapasão pode ser adaptado a uma caixa de ressonância, normalmente feita de madeira, que ajuda com que o som produzido seja amplificado e possa ser ouvido a uma maior distância e por mais pessoas.

O Experimento

Para essa experiência, você vai precisar de:

  • diapasão;
  • caixa de ressonância;
  • martelo com ponta de borracha.

Para começar, bata levemente o martelo no diapasão. Ouça com atenção o som emitido e perceba a frequência da nota Lá. Repita a operação mais algumas vezes para se habituar aos 440Hz do instrumento.

Em seguida, segure o diapasão pela caixa de ressonância e bata com o martelo novamente. Segure a caixa com a abertura virada para frente. Com seu braço esticado, gire a caixa para frente e para trás, em relação ao seu ouvido. Perceba e comente as alterações que ocorreram na frequência do som e como ele parece mais grave ao se aproximar e mais agudo ao se afastar do seu ouvido.

Por fim, peça que os alunos repitam o procedimento eles mesmos e comente sobre as situações do dia a dia em que o efeito Doppler pode ser observado. O material da Homelab indicado para esse estudo é o Conjunto de Física Básico.

Clique aqui para saber mais sobre o produto.

A Homelab disponibiliza uma série de materiais com experiências e outros conteúdos que podem ajudar professores, gestores e alunos a tornar as aulas de ciências ainda mais produtivas e dinâmicas. Também oferecemos uma linha completa de equipamentos científicos para o seu laboratório. Ficou interessado? Acesse o nosso site, conheça nossas soluções e faça um orçamento.

Compartilhe Tags
0 comentários

shutterstock_251933845

O Ensino Fundamental é a etapa mais longa da educação, são nove anos em que o aluno entra em contato com diferentes aprendizados e também é ensinado sobre cidadania. Para tornar o resultado deste processo sempre positivo, é necessário pensar em estratégias de ensino que despertem nos alunos a vontade por aprender mais.

#1. Contato com o conhecimento científico

Absolutamente tudo depende do conhecimento científico. Estamos o tempo todo em contato com o mundo da ciência, mas, na maioria das vezes, não sabemos muito sobre estes conteúdos tão ricos que nos cercam. Promover o contato do aluno com a ciência, mostrar o porquê das coisas, as relações entre os fenômenos e mostrar que este conhecimento faz parte da vida, é papel fundamental para a educação, e por isso é tão importante o ensino contar com aulas práticas.

 

#2. Levantar hipóteses, testá-las e contestá-las.

A curiosidade é um dos principais combustíveis do aprendizado. A partir das hipóteses, os alunos participam da aula e pesquisam sobre o que foi ensinado com muito mais interesse, até que encontram uma solução.  Quando a curiosidade desperta o aluno a aprender sobre fatos que não tinha interesse, ele se torna motivado a aprender assuntos que consideraria chatos ou difíceis.

 

#3. Melhor compreensão de conceitos         

As aulas práticas surgem a partir do embasamento teórico e fazem com que o aprendizado aconteça de maneira inovadora. Quando o aluno participa da experiência em aula com diferentes materiais, ele passa a desenvolver importantes habilidades do pensamento científico.

 

 

#4. Trabalho em equipe

A escola não é somente responsável pela educação, mas também por desenvolver a formação de cidadania. Neste aspecto, os trabalhos em grupo são ideais para construir coletivamente o conhecimento. Quando os alunos participam de aulas práticas, trocam impressões, se deparam com diferentes opiniões e são estimulados a pensar em equipe, eles desenvolver habilidades essenciais para o convívio em sociedade.

 

Como a Homelab pode contribuir com tudo isso?

O fácil acesso a materiais de ensino é ideal para que os alunos desenvolvam cidadania, curiosidade e a sejam estimulados para construção de novas ideias.

Leve esta inovação para sua escola com os materiais Homelab!

Compartilhe
0 comentários

Diretor(a), administrador(a) de uma Instituição especial, a Escola, e tem por finalidade a formação de pessoas. O resultado de sua gestão depende do encaminhamento dado para que o mundo seja um lugar melhor.

Seguem abaixo 4 segredos sobre o sucesso de profissionais da educação como você:

infografico dia do diretor - blog

 

Você já deve ter percebido que apenas falar em física já desperta algumas caras feias na sala de aula. Isso faz com que um dos principais desafios do professor seja, não apenas passar a matéria, mas também despertar o interesse dos alunos para conhecimentos que os ajudem a entender melhor o mundo em que vivemos.

201502179262245389

Como fazer isso?

O conselho da equipe Homelab é um só: aulas práticas.

Ao invés de simplesmente falar, demonstre. E com o Conjunto de Física Básico, por exemplo, você pode exemplificar duas leis da física e deixar suas aulas muito mais dinâmicas e atrativas!

#1. Lei da Gravidade

A Lei da Gravidade Universal foi formulada por Isaac Newton, e conta a lenda que foi quando o cientista estava descansando na sombra de uma árvore. Ele observou uma maçã cair no chão em uma trajetória reta, e então percebeu que era a força gravitacional que atraiu a maçã e opera sobre os corpos, puxando-os para o centro da Terra.

 “Duas partículas se atraem com forças cuja intensidade é diretamente proporcional ao produto de suas massas e inversamente proporcional ao quadrado da distância que as separa”.

ss

Com o Conjunto de Física Básico é possível comprovar a ação da gravidade sobre os corpos em queda livre e ensinar aos alunos sobre a lei da gravidade. O equipamento fornece dados precisos a partir da queda, aferidos por um sensor que realiza a aquisição de no mínimo 10 intervalos de tempo.

A Queda Livre é um movimento resultante da aceleração provocada pela gravidade. É um movimento uniformemente acelerado de trajetória retilínea, e com aceleração igual para todos os corpos, pois é provocada pela gravidade.

 

#2. Lei Zero da Termodinâmica

A termodinâmica é o ramo da física que estuda os efeitos da temperatura, volume e pressão. Quando um corpo é aquecido ou resfriado, ele sofre mudanças nas propriedades físicas, podendo transformar-se em sólido, líquido ou gasoso.

A Lei Zero da Termodinâmica estabelece como ocorre a troca de calor entre os corpos. No momento em que diferentes corpos entram em contato, a tendência é que o corpo com maior energia térmica transmita calor para o com menor energia, até que a temperaturas entre eles se igualem.

Uma das funções do Conjunto Básico de Física é transformar o estudo dos meios de propagação de calor, demonstrando as propagações por condução, convecção e irradiação. Com o Conjunto Demonstrativo dos Meios de Propagação de Calor, um dos equipamentos que compõe o conjunto, ainda é possível comparar o grau de isolamento térmico entre diferentes materiais.

1499

Veja mais equipamentos Homelab aqui!

Compartilhe
0 comentários

 2

O que nós sabemos da Inteligência Artificial? As máquinas dominando o mudo são tema de vários filmes, mas quando trazemos para a realidade, existe pouca informação sobre esses softwares capazes de reproduzir a inteligência humana e atuar em determinados ambientes.

Cientistas de todo o mundo estão assinando uma carta aberta para alertar sobre os rumos da Inteligência Artificial, entre eles Stephen Hawking, Elon Musk e até mesmo o ator Morgan Freeman.

O que a carta pede é que os cientistas possam aliar as descobertas sobre esse tema para os interesses da sociedade, com cuidado, já que não existe um consenso sobre as diferentes linhas de pesquisa que já existem.

“Existe agora um amplo consenso de que a pesquisa em Inteligência Artificial está progredindo constantemente, e que seu impacto sobre a sociedade tende a aumentar. Os benefícios potenciais são enormes, já que tudo que a civilização tem a oferecer é um produto da inteligência humana; nós não podemos prever o que poderemos alcançar quando essa inteligência for ampliada pelas ferramentas que a Inteligência Artificial pode prover, mas a erradicação de doenças e pobreza não são insondáveis. Por conta do grande potencial da Inteligência Artificial, é importante pesquisar como colher seus benefícios, evitando armadilhas potenciais”, afirma o texto da carta, em tradução livre.

A tecnologia nasce no intuito de beneficiar a humanidade. A cada dia a ciência avança nas pesquisas e os robôs já estão presentes e realizam várias funções importantes do nosso cotidiano, como o reconhecimento de voz, classificação de imagens, veículos autônomos, tradução automática, locomoção pernas, e de sistemas capazes de responder a perguntas. Mas à medida que os resultados aparecem, geram lucros e interessam grandes empresas, nãos existem limites regulamentados que impeçam as máquinas de construírem um verdadeiro caos em nossa civilização.

A carta também possui um documento de prioridades de investigação, para ajudar a determinar determinadas linhas a serem pensadas para que as pesquisas possam seguir em benefício social. Os cientistas acreditam que se a Inteligência Artificial avançar sem medidas, cenários como do filme “O Exterminador do Futuro” vão sair das telas do cinema e se tornar realidade.

Se você concorda que as pesquisas ser ponderadas, pensando sempre no bem da humanidade, pode assinar a carta, clicando aqui.

 

 

news_janeiro02

Chega fim de ano e a gente acaba sempre caindo naquele mesmo clichê: como 2014 passou voando, né? Sendo clichê ou não, o fato é que os meses passaram muito rápido mesmo e, quando o ano chega ao fim, a gente sempre cria uma série de resoluções para o ano que vem chegando seja melhor e diferente. Para quem tem uma escola, é fundamental saber que se reciclar, se renovar e se reconstruir é muito importante. Trazer novidades torna as aulas mais interessantes e os alunos também passam a ter mais vontade de ver o que há de novo. Por isso, junto da Homelab, renove sua escola e comece 2015 com o pé direito – e muitas novidades!

renove homelab.fw

 

1. Microscópio Monocular 640x. Microscópio Biológico Monocular com ótimo desempenho e durabilidade. Possui estrutura em metal e óptica em vidro cristalino. Possibilita a observação em diversos aumentos com o uso de acessórios que acompanham o equipamento. Manual de instruções em português embalagem: caixa de madeira isopor e papelão.

2. Coluna Vertebral Lombar. Modelo em tamanho natural, confeccionada em resina plástica rígida, composto por cinco vértebras lombares, disco invertebrado, sacro com bordas, vértebra com prolápso (entre a segunda e a terceira vértebra) e cóccix.

3. Olho em Órbita Ampliado. Modelo confeccionado em resina plástica emborracha, mostra o olho com nervo ótico em sua posição na órbita óssea, ampliado aproximadamente 3 vezes do tamanho natural, divide-se em 11 partes.

4. Modelo Masculino Acumpuntura. Modelo confeccionado em fibra de vidro dividido medialmente, de um lado reproduz em detalhes coloridos chakras, meridianos e pontos para acupuntura. na outra metade detalha os músculos esplênio da cabeça, deltoide, frontal temporal, orbicular nasal, orbicular da cabeca, grade dorsal, peitoral maior, tríceps, bíceps, glúteos máximo, biceps femoral.

E aí, curtiram? Isso e muito mais você encontra em nosso site!

Compartilhe Tags
0 comentários

Print

Compartilhe
0 comentários

Os grandes gênios sempre se destacaram pela criatividade. Thomas Edison sabia muito bem disso, além dos muitos experimentos que inventou, ele comprovou que criatividade é o resultado de conhecimento e trabalho com a frase: “Gênio é 1% inspiração e 99% transpiração”.

A criatividade é uma habilidade que deve ser aprimorada todos os dias, para que a evolução seja constante. Existe uma série de fatores que ajudam o cérebro a desenvolver melhor a criatividade, e uma dica de grandes profissionais criativos, inspirados no gênio Leonardo Da Vinci, é usar os dois lados do cérebro. Quando resolvemos um problema difícil não só estrategicamente, mas usando as emoções, fazemos igual Da Vinci e temos um aproveitamento melhor do nosso cérebro. Isso porque o cérebro é dividido em duas partes: a parte que desenvolve o raciocínio lógico, e a outra que é responsável por nossas emoções.

O repertório pessoal também vai ajudar nas construções de novas ideais. Quanto mais conhecimento adquirido, é possível cruzar os pensamentos sobre assuntos diferentes e assim criar novas ideias. Existem maneiras que ajudam a evoluir o processo criativo, e aqui vão algumas dicas:

  • Relaxe e pare de pensar. Enquanto você descansa o seu subconsciente continua trabalhando.
  • Separe um tempo para pensar a respeito dos mais diferentes assuntos, leia, escute músicas diferentes, assista a filmes e saia da rotina.
  • Aceite novas ideias, opiniões dos outros todo conhecimento é válido para ter mais criatividade.
  • Seja curioso e sempre corra atrás de respostas
  • Escreva suas ideias. Colocar no papel é uma maneira concreta de encarar as possibilidades de uma ideia.
  • Conheça pessoas inspiradoras, e saiba mais sobre elas.

O processo criativo necessita de treinamento e observação para mostrar resultados eficientes. A criatividade é um caminho que só exige dedicação e disciplina para ter boas ideias. Visite o Showroom da Homelab e tenha a possibilidade de desenvolver e evoluir seu potencial criativo.

 

news2

Compartilhe
0 comentários

news_06-05

Compartilhe
0 comentários