Diversos

IMG_8353

Aposto que muitos já pensaram em utilizar uma jarra de vidro comum ou até de plástico no lugar de um béquer na hora de realizar uma experiência, porém, isso jamais deve ser feito. Apesar de terem aparências similares, o vidro (e principalmente o plástico) não é igual ao material utilizado no béquer e isso deve ser levado em conta na hora de tomar esta decisão. Apesar de soar como uma pequena diferença insignificante que não interfere realmente em nada, é importante ter consciência de que na grande maioria das vezes, as vidrarias utilizadas em laboratório são feitas de vidro cristal ou temperado, para que assim as medidas sejam mais precisas, o recipiente não reaja com a substância contida nele e ainda possa ser submetido ao aquecimento direto ou indireto sem jamais quebrar ou comprometer sua estrutura física de qualquer maneira. O recipiente errado não afeta apenas o resultado da experiência, mas também se torna um risco a segurança de todos ao redor do experimento.

conjunto-de-vidraria--pecas

As vidrarias de laboratório devem ser tratadas com o maior cuidado possível, até porque o vidro utilizado é extremamente trabalhado, o que o torna mais caro do que os que usamos no dia a dia em nossas casas. São essas diferenças que não conseguimos observar a primeira vista que tornam a utilização das vidrarias essenciais. Para adquirir essa resistência mecânica ao calor, ao choque térmico e a grande variedade de produtos químicos, o vidro borossilicato é normalmente adicionado aos componentes do vidro comum durante a fabricação das vidrarias de laboratório. O vidro borossilicato também conta com um coeficiente de dilatação menor que o do vidro comum e um ponto de fusão maior, ambas importantes características para experiências laboratoriais seguras e corretas. No geral, este tipo de vidro não reage com as substâncias usadas em laboratório (o que é uma propriedade essencial, uma reação não deve jamais atrapalhar outra e gerar resultados confusos, incorretos ou até perigosos) e trabalha muito bem com a questão do aquecimento direto ou indireto.

Além disso também existem algumas vidrarias escurecidas para armazenar compostos que reagem a luz. A verdade é que existem milhares de opções de vidrarias usadas em diferentes situações experimentais dentro da ciência, mas todas elas pedem o material adequado para garantir que o resultado final esteja correto e ainda garantir a segurança de todos a sua volta!

Aulas práticas que promovam experiências são essenciais dentro de um ensino de qualidade, isso porque elas ajudam na memorização, compreensão da matéria, na hora de tirar as dúvidas, permitem a visualização do conteúdo, auxiliam os alunos a interpretarem melhor a matéria e ainda deixam a aula mais leve, isso graças ao dinamismo que os experimentos proporcionam dentro do ambiente escolar.

A Homelab valoriza a real ciência e sabe da necessidade da utilização de uma vidraria adequada, por isso fornece o Conjunto de Vidrarias de 156 peças e diversos outros materiais para áreas como ciências, física, biologia, matemática, geografia e história, os quais prometem também auxiliar os professores em incontáveis aulas práticas, as quais asseguram uma mudança extremamente positiva na educação da sua instituição de ensino.

blog 1Ciências e experiências são coisas indissociáveis. A possibilidade de comprovação e aplicação prática dos conceitos científicos é o suporte essencial para a validação de teorias. Na escola, aulas experimentais são o complemento ideal ao que foi estudado em sala de aula, auxiliando a engajar mais os alunos e a tornar o ensino das ciências mais dinâmico, divertido e mais fácil de assimilar.

No caso da Química, muitos alunos a enxergam como uma matéria difícil, repleta de fórmulas, nomenclaturas e teorias. Porém,  os conceitos dessa disciplina estão presentes em inúmeros fenômenos que nos cercam no nosso dia a dia, da preparação de alimentos às reações realizadas pelo nosso próprio organismo. Muitas vezes, o que falta é o estímulo necessário para despertar a vontade de estudar e investigar esses fenômenos. Por isso, a Química é uma das disciplinas que podem se beneficiar – e muito – das aulas em laboratório.

A realização de atividades práticas pode ser a motivação que falta para que os alunos vejam como a Química explica, na prática, situações do nosso cotidiano. As experiências aguçam a curiosidade e a imaginação, auxiliando os alunos a entenderem e fixarem os conceitos estudados em sala, além de estimular questionamentos investigativos e a capacidade de resolução de problemas dos estudantes. Essa aplicação prática da teoria ministrada pelo professor proporciona aos alunos a manipulação de objetos e elementos que, juntamente com a troca de ideias como o educador, vão ajudar na compreensão do conteúdo e na percepção da sua relevância no mundo que nos cerca.

E, ao contrário do que muitos pensam, realizar experimentos químicos não precisa ser algo complicado nem demanda a utilização de equipamentos caros e sofisticados. Como citamos, ela está presente no nosso dia a dia e existem diversas maneiras de observá-la na prática, com itens simples e fáceis de encontrar.

Pensando nisso, você pode conferir a seguir 4 dicas de experiências de Química para fazer em sala de aula e estimular os alunos a adquirirem o gosto pelo fazer científico.

1 .A Densidade e o Ovo

Para esse experimento você vai precisar de ovos crus, copos de vidro, sal, uma colher e água.

Para começar, coloque água em um dos copos e simplesmente adicione o ovo, observando se ele afunda ou flutua. Em um segundo copo, coloque a mesma quantidade de água, adicione sal e misture bem. Coloque o ovo e observe seu comportamento novamente. Depois, em um terceiro copo, adicione partes iguais da água pura e da água com sal. Jogue o ovo no recipiente e confira como ele irá se posicionar. Por fim, alterne adicionando mais água doce e mais água salgada, sempre observando a movimentação do ovo dentro do copo.

No primeiro caso, o ovo afunda, pois sua densidade é maior que a da água. Ao adicionar sal, a densidade do líquido aumenta, tornando-se maior que a do ovo e, assim, ele flutua. Quanto mais sal foi acrescentado na água, mais sua densidade aumentará e mais próximo à superfície o ovo ficará.

Uma dica legal é realizar essa experiência para verificar se o ovo está estragado ou bom para consumo. Se ele afundar, significa que ele está fresco. Caso afunde, ele pode ser consumido. O ovo recém-posto pela galinha fica quase todo cheio em seu interior, restando apenas uma pequena quantidade de ar e, por isso, afunda.

Com o passar do tempo, o ovo perde água através dos poros da casca, se tornando menos denso. Quanto mais tempo passa, mais a quantidade de ar dentro dele aumenta. Portanto, se o ovo flutuar na superfície do recipiente com água pura, ele não deve ser consumido, pois, com certeza, está estragado.

2.Bolhas Gigantes

Esse é um experimento bem simples. Para realizá-lo, você vai precisar de detergente, água, xarope de milho, balde ou bacia bem grande e uma mangueira ou bambolê.

Para começar, coloque na bacia 100 ml de detergente, 100 ml de água e 50 ml do xarope de milho. Se quiser fazer uma quantidade maior, sempre siga essa mesma proporção. Em seguida, misture bem e deixe a mistura descansar por uns dois dias. Mistura pronta, faça um arco com a mangueira ou o bambolê, passa-os pela mistura e movimente-os para formar bolhas de sabão gigantes.

É impossível fazer bolhas apenas com água. Isso acontece porque o oxigênio de uma molécula de água sofre grande atração pelo hidrogênio presente na outra molécula de H2O, criando uma ligação forte e tornando difícil de separar essas moléculas para a formação de uma bolha.

As moléculas de água presentes na superfície da bacia exercem essa atração com as outras que estão ao seu redor, gerando a chamada tensão superficial, uma camada fina que fica na superfície da água. Ao adicionar o detergente no balde, ele reduz a tensão superficial do líquido. As moléculas do detergente interagem com as de água, separando-as e possibilitando a formação de bolhas. Porém, com o tempo, a água da bola começam a evaporar até que ela estoure.

O xarope de milho impede que essa evaporação aconteça com tanta facilidade. Isso acontece porque as moléculas dos elementos que compõem o xarope realizam ligações com o hidrogênio das moléculas de água. Isso cria fortes interações, que dificultam a evaporação da água e permitem a formação de bolhas maiores e mais resistentes.

3. Extintor de Incêndio Caseiro

Para realizar essa experiência, serão necessários uma garrafa PET de 600 ml, fita crepe, conta-gotas, um tubo de ensaio, 450 ml de vinagre e bicarbonato de sódio.

Comece fazendo um furo na tampa da garrafa com o diâmetro necessário para caber o conta-gotas, de modo que fique o mais justo possível. Em seguida, coloque-o no orifício que você fez na tampa e prenda-o com uma fita adesiva. Depois, coloque os 450 ml de vinagre dentro da garrafa PET e, no tubo de ensaio, adicione o bicarbonato de sódio e coloque-o dentro da garrafa, deixando o vinagre cerca de 2 cm abaixo da borda do tubo. Feche bem a garrafa. Em seguida, com o dedo indicador tapando a saindo do conta-gotas, sacuda a garrafa com bastante força para que o vinagre e o bicarbonato de sódio entre em contato e incidem a reação química. Por último, incline o extintor para a região que você deseja direcioná-lo.

A mistura dentro do extintor é uma aplicação típica de reações ácido-base. O jato que sai de dentro da garrafa é composto por acetato de sódio e ácido carbônico, produzidos por meio da reação entre o vinagre (ácido acético) e o bicarbonato de sódio. Essa reação resulta na produção de gás carbônico, aumentando a pressão interna dentro da garrafa, tornando-a maior que a pressão externa e fazendo com que o conteúdo seja expelido para fora da garrafa.

4.Cola de Leite

Para fazer essa experiência, você vai utilizar 2 colheres de leite em pó desnatado, 1/4 de copo de água morna, 1 colher de vinagre, 1/2 colher de bicarbonato de sódio, coador de papel, copo e funil.

Primeiro, dissolva o leite em pó na água, adicione o vinagre e mexa bem. Em seguida, leve ao micro-ondas e aqueça por 10 segundos. Retire e mexa bem. Você vai reparar que se formaram duas fases no copo: uma com um líquido amarelado e outra com uma massa branca. Caso não isso não tenha acontecido, aqueça por mais 10 segundos.

Coe a mistura em um filtro de papel, utilizando o funil. Lave a massa que ficou no coador com um pouco de água. Reserve a massa e coloque-a dentro de um copo. Se ela ficou muito dura, dissolva-a com um pouco de água. Por fim, adicione o bicarbonato de sódio e misture bem. A cola está pronta.

Um dos principais componentes do leite é uma proteína chamada caseína. Ela é bastante solúvel em água, mas sua solubilidade é alterada pela adição de ácidos, como o vinagre. Ao misturá-los, a proteína sofre alterações na sua estrutura e isso faz com que ela precipite no fundo do copo, separando-se da fase líquida do leite, chamada de soro. Ao adicionar bicarbonato de sódio à caseína, ele reage com o ácido e elimina os resíduos de vinagre da cola. Com isso, forma-se um espécie de sal de sódio, que tem fortes propriedades adesivas.

Viu só? Fazer experiências de Química pode ser muito simples. Com itens fáceis de encontrar, é possível mostrar para os alunos como os conceitos químicos estão presentes no nosso dia a dia, tornando a aula mais divertida e interessante e ajudando na assimilação de conteúdos passados em sala.

blog 2

Quer outras dicas de experimentos para montar seu plano de aula? Clique aqui e confira!

A Homelab fornece uma linha completa de materiais de laboratório para a área de educação para auxiliar no ensino prático das ciências. Acesse o nosso site, consulte nossos produtos e solicite um orçamento.

Compartilhe Tags
0 comentários

homelab2

A mistura de soluções é uma das tarefas mais comuns no dia a dia de um laboratório. Para realizar essa tarefa são utilizados equipamentos chamados agitadores. Eles são aparelhos que permitem agitar, misturar e homogeneizar soluções líquidas, sendo muito utilizados em laboratórios de Química, Física, Biologia e nas mais diversas indústrias, como alimentícia e farmacêutica.

Existem vários tipos de agitação e, consequentemente, de aparelhos para realizar essa função. Há equipamentos magnéticos, orbitais, de aquecimento, entre outros. A escolha do agitador certo dependerá da necessidade de cada laboratório e da natureza de cada amostra. Análises de sangue, por exemplo, podem sofrer alterações que comprometam o resultado final caso seja utilizada uma agitação de alta velocidade.

Também conhecido como placas de agitação magnética, os agitadores magnéticos são formados por um motor com um ímã e uma barra magnética. O aparelho cria um campo magnético rotativo que move essa barra, que é colocada na amostra, gerando um alta agitação. Essas barras são tratadas quimicamente, o que evita a contaminação de amostras. Além disso, nos agitadores magnéticos os processos de limpeza e desinfecção das peças são mais simples do que nos aparelhos mecânicos.

Os agitadores podem variar em tamanho e capacidade, além de poderem receber diferentes tipos de recipientes, de microtubos a frascos maiores. Um agitador compacto, por exemplo, é ideal para laboratórios com pouco espaço e para a agitação de soluções de até dois litros. Esse tipo de aparelho permite a regulação dos movimentos e é resistente a produtos químicos. Há ainda a opção de aparelhos que combinam a agitação magnética com aquecimento, sendo muito utilizados para movimentar amostras que necessitam de altas temperaturas. A Homelab fornece modelos de agitadores com aquecimento que têm a capacidade de aquecer soluções a até 360ºC!

Agora que você conhece um pouco mais sobre as funções e os diferentes tipos de agitadores magnéticos, confira a seguir o que levar em consideração na hora de escolher o equipamento ideal para o seu laboratório.

Precisão e Estabilidade

Há misturas sensíveis e que necessitam da agitação correta para fornecer os melhores resultados. Por isso, na hora da escolha, é necessário ter em mente as necessidades dos tipos de soluções que serão trabalhadas. Os modelos analógicos de agitadores não são capazes de fornecer o controle exato sobre as diversas variantes a que a amostra deve ser submetida.

Quando for necessário um controle mais preciso da temperatura e da velocidade da agitação, dê preferência aos modelos digitais. Esses aparelhos permitem uma maior exatidão e estabilidade dessa variantes, realizando o monitoramento, compensando as mudanças que possam ocorrer no sistema e adequando-as às definições pré-estabelecidas. Isso vai garantir mais segurança e resultados mais assertivos aos experimentos realizados.

Riscos e Perigos

Laboratórios são ambientes extremamente suscetíveis a riscos decorrentes, principalmente, de reações químicas como contaminações e até mesmo explosões. Quando aquecidos, solventes orgânicos e outras substâncias podem se tornar perigosos e sua agitação incorreta pode causar a inflamação de gases soltos pelas amostras.

Para garantir a segurança de todos no laboratório, atualmente existem no mercado agitadores magnéticos à prova de explosão. Com certeza, um investimento que vale a pena se o objetivo é trabalhar com soluções que necessitem de agitação a altas temperaturas.

Viscosidade da Amostra

A escolha do agitador ideal depende sempre do tipo de substâncias que serão postas a prova no aparelho. Como são utilizadas misturas líquidas, a habilidade de um agitador magnético em conseguir agitar uma mistura com eficiência depende, entre outras coisas, da viscosidade das soluções. Quanto mais viscoso for líquido a ser movimentado, maior é a força magnética necessária, exigindo um aparelho mais potente.

Volume da Amostra

Como dissemos, são muitos os modelos de agitadores magnéticos disponíveis no mercado. No momento de decidir o aparelho adequado ao seu laboratório, tenha em mente a quantidade de líquido que será utilizada. Lembre-se de que há amostras que exigem medidas precisas. Além disso, existem substâncias que aumentam seu volume quando aquecidas. Por isso, atente aos volumes propostos nos experimentos para dimensionar corretamente o modelo a ser escolhido.

Precisão, controle das variantes e, principalmente, segurança são pontos principais no momento de escolher um agitador magnético. São muitos os modelos disponíveis no mercado atualmente, produzidos com diferentes materiais e para diferentes finalidades. Por isso, atente às exigências do seu laboratório, aos tipos de experimentos que serão realizados e adquira o produto que atenda às suas necessidades.

A Homelab é um empresa especializada em equipamentos e acessórios para laboratório. Fornecemos uma linha completa de agitadores magnéticos, em opções com ou sem aquecimento, além de modelos de diversas capacidades.

Clique aqui e conheça a nossa linha de Agitador Magnético!

Oferecemos também diversos produtos modernos e de alta qualidade para o seu laboratório. Tem interesse? Acesse o nosso site, conheça nossas soluções e faça um orçamento.

Compartilhe Tags
0 comentários

No dia 12 de Novembro comemoramos o Dia do Diretor de Escola e, em homenagem a esta profissão tão especial, preparamos uma série de entrevistas com profissionais atuantes que contarão um pouco sobre sua rotina, desafios e dicas para outros diretores.

Nossa primeira entrevistada é a Paula Cristina Bezerra Ferreira, da cidade de Imperatriz no Maranhão, que é diretora a 25 anos e hoje trabalha no Centro Educacional ArteCeb. Confira como foi essa conversa e fique ligado para mais entrevistas nas próximas semanas!

paula cristina

1) Quais são, na sua opinião, os maiores desafios que um Diretor de Escola enfrenta no dia a dia?
Sou diretora do Centro Educacional ArteCeb e também sócia proprietária. Exercer a função de educar já é um desafio, pois não existe “cartilha” pronta que nos ajude nessa empreitada. Os desafios são diários e imprevisíveis: Ora com alunos; ora com pais; ora com professores; ora com todos que atuam nesta área. Confesso que, atualmente, meu maior desafio é conversar com a família e sensibilizá-la a caminhar lado a lado com a escola, trazendo-a para participar do desenvolvimento escolar do aluno. Percebo que a falta de tempo e a correria do dia-a- dia fazem com que os pais queiram transferir para a escola a responsabilidade de educar. Atitudes assim dificultam nosso trabalho como gestor, coordenador e professor. Porém, trabalhar, com amor, motiva-me a vencer os desafios todos os dias.

2) Com o avanço da tecnologia e inserção das crianças nesse novo mundo, quais são, na sua opinião, as principais mudanças que o cargo de Diretor sofreu nos últimos anos?
Não digo que sofremos mudanças como diretor. Tivemos que acompanhar esse avanço tecnológico, por ser mais uma ferramenta para nosso aluno. E, como a tecnologia é a uma “faca de dois gumes”, temos que estar atentos e entender esse novo mundo, para que possamos continuar educando, orientando, motivando e sensibilizando o educando a usar esse meio como fonte de enriquecimento; não esquecendo que o ser humano é e sempre será o “instrumento” mais indicado para ser mediador e protagonista dessa inovação no processo ensino-aprendizagem.

3) Além das grandes responsabilidades, o Diretor de Escola também vivencia muitas experiências positivas. Qual a melhor parte de ser um Diretor de Escola?
Eu quero e sempre busco ser uma diretora amiga, companheira e presente. Minha sala é praticamente panorâmica, para que eu possa ver e acompanhar o que acontece à minha volta. Amo ser diretora e minha maior satisfação é ser reconhecida pelos alunos como amiga e esse reconhecimento vai além do intervalo de tempo que passam na escola. Mesmo quando concluem o Ensino Médio, eu continuo sendo “a melhor diretora” (fala dos alunos). Sou realizada profissionalmente e acredito que nasci para trabalhar com gente, para ser educadora, pois educar é a metade de mim; a outra metade é gente. E é de gente que preciso para viver, para sorrir, para conduzir, partilhar, trabalhar, brincar… Para ser educadora.

4) Com sua experiência, quais dicas você daria para outros Diretores de Escola aprimorarem suas atividades como gestor?
Educar é um ato de amor. E, se junto a este ato, aliarmos o estudo constante, enxergarmos o aluno como ser humano que sente, ama, sofre e precisa de ajuda, estarmos atualizados com as mudanças que acontecem na área educacional, com certeza seremos diretores referenciais fazendo a diferença na educação.

Compartilhe
0 comentários
04 nov.

Tão importante quanto o Outubro Rosa, o Novembro Azul é marcado pela campanha de conscientização quanto a saúde masculina, com destaque a prevenção, diagnóstico precoce e ao tratamento do câncer de próstata.

Novembro-Azul-

O movimento surgiu em 2003, na Austrália, surgindo pelo Dia Mundial do Câncer de Próstata ser no mês de novembro. Desde então, a ideia se espalhou por diversos países do mundo, chegando ao Brasil com o propósito de derrubar o preconceito quanto aos exames preventivos e frequência regular nos médicos especialistas.

No Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum nos homens. Considerando ambos os sexos, este é o quarto tipo de câncer mais comum a ser diagnosticado no país e, a nível mundial, é mais diagnosticado em países desenvolvidos. A grande maioria dos casos é diagnosticado após os 65 anos. Com diversos tipos e características de desenvolvimento, o diagnóstico precoce é fundamental para um tratamento mais efetivo, aumentando as chances de cura do paciente.

Como em uma de suas formas a doença não expressa sintomas evidentes, o exame de rastreamento é fundamental para diagnosticar a doença em seus primeiros estágios e, por isso, incentivamos que os homens criem esse hábito, especialmente a partir dos 50 anos.

Além do câncer de próstata, o movimento também traz a conscientização sobre outras doenças masculinas, como outros tipos de câncer, a depressão e outros. Por isso, faça parte deste movimento. Cuide de sua saúde e incentive que os homens mais próximos de você façam o mesmo.

Compartilhe
0 comentários
21 out.

O mês de Outubro é especial, importante e tem uma cor: rosa. O mês de conscientização sobre o câncer de mama ressalta a importância dos exames preventivos e do tratamento da doença e é marcado pela campanha em diversos países diferentes, atraindo a atenção de pessoas e empresas para o tema.Saude-Goiania-promove-acao-Outubro-Rosa

O câncer de mama é o segundo tipo mais comum da doença nas estatísticas nacionais e mundiais, sendo o diagnóstico de 25% dos casos de câncer a cada ano. Os casos podem ser diagnosticados em mulheres e homens (apesar do segundo ser raro), em diversas faixas etárias, mas com maior incidência a partir dos 30 anos. Já a partir dos 50 anos os casos ficam ainda mais frequentes, sendo a maior porcentagem do número de pacientes.

O câncer de mama tem cura, e a probabilidade de recuperação total do paciente é ainda maior quando a doença é descoberta em seus primeiros estágios. Sendo assim, o exame preventivo é fundamental para garantir as maiores chances de cura.

O exame preventivo é composto por duas etapas: o exame de toque, realizado em casa, e o exame profissional. Através do exame frequente feito em casa, mulheres podem identificar pequenos caroços ou anomalias em seus seios, que devem ser analisados por um médico para diagnóstico da gravidade, através dos exames profissionais. Vale ressaltar, ainda, que a prática constante do exame caseiro não extingue a necessidade de exames profissionais, realizados e analisados por médicos especialistas, que devem ser realizados periodicamente.

Cuide de sua saúde e do bem estar de quem você ama. Conhecer o próprio corpo através dos exames de toque é fundamental para identificar qualquer alteração em sua mama. Faça os exames regularmente e incentive que as mulheres que conhece também façam. Além disso, dê apoio para as mulheres que estão passando pelo tratamento. Sua solidariedade também pode fazer parte deste tratamento. Apoie campanhas de doação de cabelo, doe lenços, invista seu tempo em conversas, apoio e incentivo. Suas atitudes fazem a diferença na sua saúde e na de diversas outras mulheres.

Compartilhe
0 comentários

Uma das profissões de maior importância em nossa sociedade, o professor enfrenta diariamente diversos desafios para fazer com que a educação avance e seus alunos se desenvolvam. E chegou a hora de homenagear todo este esforço, dedicação e garra.

professor

O Dia do Professor está chegando e, nesta hora, nada melhor do que falar sobre professores que usam da criatividade para atrair a atenção dos alunos e transformar a aula em um momento de muito aprendizado! Hoje vamos falar sobre dois professores que inovaram e chamaram a atenção não apenas dos alunos, mas da sociedade e da internet.

Em Araguaia, no Pará, a professora Rosa Almeida tirou os alunos de sala de aula e os levou para a praça, a fim de desenvolverem atividades para combater o mosquito transmissor de Leishmaniose, doença comum na região. Professora de turma de diversas idades diferentes, Rosa Almeida adaptou o tema para cada assunto abordado nas matérias de Ciências e Biologia e executou as atividades em caráter extra classe. Ao invés da prova, os alunos foram para uma praça do centro expor seus trabalhos e conscientizar a população sobre a importância do combate ao mosquito.

Já em Jundiaí, São Paulo, o professor resolveu reproduzir cenas que lembram a série CSI e colocou seus alunos para investigarem “crimes”. Com tinta, bonecos e rastros a serem investigados, os alunos de ciências biológicas fizeram o que costumavam ver pela TV. A proposta surgiu quando o professor começou a trabalhar o corpo humano, e percebeu que seus alunos tinham uma boa noção do posicionamento dos órgãos graças ao interesse por esta e outras séries semelhantes. Assim, os alunos aprenderam mais sobre o corpo humano e desenvolveram habilidades de observação e crítica, além de utilizar instrumentos como lupas, microscópios e outros, tudo com muita diversão e criatividade.

São estes e todos os outros professores que nos inspiram, diariamente, a sermos criativos e diferentes. A educação se transforma cada vez que um professor se dedica e aproveita o conhecimento vindo dos alunos.

E assim, gostaríamos de finalizar homenageando os profissionais que transformam alunos, turmas e a sociedade. Parabéns, professores! Que vocês recebam toda a valorização, apoio e reconhecimento que merecem, não apenas dentro, mas também fora da sala de aula.

Compartilhe
0 comentários
15 set.

No dia 15 de setembro comemoramos o Dia do Cliente. Essa data marca mais do que relações comerciais, que se limitam a ações de compra e venda, mas de pessoas que, junto conosco, constroem a história de nossa empresa.

Happy young couple discussing with a financial agent their new investment

Conversamos dia após dia sobre nossos trabalhos, objetivos e desejos e construímos juntos uma relação de amizade, onde nos auxiliamos na tarefa de crescer e melhorar constantemente nossos produtos e serviços.
Por isso abrimos um espaço especial para parabenizá-los por seu dia e agradecer por esta parceria. Que possamos continuar construindo pontes e trabalhando juntos a favor da educação e do desenvolvimento de temas que tanto amamos, como as ciências, a física e a matemática.
Temos certeza de que vocês continuarão sendo nossos clientes e amigos por muitos anos, e é por isso que hoje só temos a agradecer!

Compartilhe Tags
0 comentários

Nesta semana comemoramos o Dia do Coordenador Pedagógico, data que celebra e homenageia uma das mais importantes profissões quando o assunto é educação infantil.

[align=center][url=my_lightbox_contents.php?lightboxID=2103000][img]http://www.dem10.com/istock/istock_edu.jpg[/img][/url][/align]

[align=center][url=my_lightbox_contents.php?lightboxID=2103000][img]http://www.dem10.com/istock/istock_edu.jpg[/img][/url][/align]

A profissão surgiu entre as décadas de 70 e 90 e exerce múltiplas funções. entre elas, melhorar as condições de ensino dos professores em sua instituição e buscar conhecer a realidade da sociedade que envolve o centro de educação e seus alunos.

Diante de toda a importância desta profissão, valorizar e homenagear os coordenadores pedagógicos nunca é demais, já que seguem em parceria com os professores em busca da melhoria do ensino e das condições de aprendizado.

Entre suas funções também está:
-Garantir a realização semanal do horário de trabalho pedagógico coletivo
-Organizar encontros de docentes por área e por série
-Dar atendimento individual aos professores
-Fornecer base teórica para nortear a reflexão sobre as práticas
-Conhecer o desempenho da escola em avaliações externas

Muito trabalho, não é? Aproveite para agradecer e parabenizar estes profissionais sempre que puder.

Compartilhe
0 comentários

A Educação Ambiental é praticada há décadas no Brasil, entretanto, seus resultados estão muito longe do esperado quanto à verdadeira transformação da sociedade. Iniciou sendo exercida numa esfera conservacionista, tratando os impactos das atividades humanas sobre a natureza e meios tecnológicos para enfrentá-los.

Neste viés educacional o objetivo é criar “bons comportamentos”, pensando nos efeitos dos processos poluidores. Como por exemplo, separar o lixo destinando-o adequadamente para evitar a poluição de solos e rios. Entretanto, procedendo assim, o enfoque está voltado para as consequências, ao invés das causas do problema. Assim percebemos que ainda não alcançamos o objetivo da Educação Ambiental como formadora de consciência ambiental, nos diz Rubens Corrêa Secco, Engenheiro Agrônomo e Diretor do Projeto Ecosolidariedade.

A Educação Ambiental transformadora deve criar o entendimento de uma sociedade baseada na eficiência econômica, prudência ecológica e justiça social.

A Campanha da Fraternidade 2016 nos fala da “necessidade e urgência de unir forças, inteligências, ações e preces no cuidado com o planeta” e traz como um dos objetivos da campanha o incentivo ao consumo responsável dos dons da natureza. O Papa Francisco, ainda na Encíclica Laudato Si, propõe uma “Educação Ambiental com novos objetivos, desapegada de informação científica e prevenção dos riscos am­bientais, mas agora incluindo uma crítica aos ‘mitos’ da modernidade baseados no individualismo, progresso ilimitado, concorrência, consumismo, mercado sem regras, recuperando os níveis de equilíbrio ecológico, o solidário com os outros em uma transformação pessoal”.

A Homelab participa e apoia o Projeto porque acredita que podemos através da Educação Ambiental fazer uma casa melhor para todos nós!

 

Para saber mais: http://www.ecosolidariedade.org.br

convite_fo?rum_ap convite_fo?rum_apconvite_fo?rum_apconvite_fo_rum_ap-1a

A Arquidiocese de Curitiba convida a todos a participar do 1º Fórum Ecosolidariedade no dia 27 de agosto às 13h30.

Venham discutir e conhecer novas possibilidades para tornar nosso mundo melhor!

Inscrições: http://www.ecosolidariedade.org.br/forum

Compartilhe
0 comentários