IMG_8353

Aposto que muitos já pensaram em utilizar uma jarra de vidro comum ou até de plástico no lugar de um béquer na hora de realizar uma experiência, porém, isso jamais deve ser feito. Apesar de terem aparências similares, o vidro (e principalmente o plástico) não é igual ao material utilizado no béquer e isso deve ser levado em conta na hora de tomar esta decisão. Apesar de soar como uma pequena diferença insignificante que não interfere realmente em nada, é importante ter consciência de que na grande maioria das vezes, as vidrarias utilizadas em laboratório são feitas de vidro cristal ou temperado, para que assim as medidas sejam mais precisas, o recipiente não reaja com a substância contida nele e ainda possa ser submetido ao aquecimento direto ou indireto sem jamais quebrar ou comprometer sua estrutura física de qualquer maneira. O recipiente errado não afeta apenas o resultado da experiência, mas também se torna um risco a segurança de todos ao redor do experimento.

conjunto-de-vidraria--pecas

As vidrarias de laboratório devem ser tratadas com o maior cuidado possível, até porque o vidro utilizado é extremamente trabalhado, o que o torna mais caro do que os que usamos no dia a dia em nossas casas. São essas diferenças que não conseguimos observar a primeira vista que tornam a utilização das vidrarias essenciais. Para adquirir essa resistência mecânica ao calor, ao choque térmico e a grande variedade de produtos químicos, o vidro borossilicato é normalmente adicionado aos componentes do vidro comum durante a fabricação das vidrarias de laboratório. O vidro borossilicato também conta com um coeficiente de dilatação menor que o do vidro comum e um ponto de fusão maior, ambas importantes características para experiências laboratoriais seguras e corretas. No geral, este tipo de vidro não reage com as substâncias usadas em laboratório (o que é uma propriedade essencial, uma reação não deve jamais atrapalhar outra e gerar resultados confusos, incorretos ou até perigosos) e trabalha muito bem com a questão do aquecimento direto ou indireto.

Além disso também existem algumas vidrarias escurecidas para armazenar compostos que reagem a luz. A verdade é que existem milhares de opções de vidrarias usadas em diferentes situações experimentais dentro da ciência, mas todas elas pedem o material adequado para garantir que o resultado final esteja correto e ainda garantir a segurança de todos a sua volta!

Aulas práticas que promovam experiências são essenciais dentro de um ensino de qualidade, isso porque elas ajudam na memorização, compreensão da matéria, na hora de tirar as dúvidas, permitem a visualização do conteúdo, auxiliam os alunos a interpretarem melhor a matéria e ainda deixam a aula mais leve, isso graças ao dinamismo que os experimentos proporcionam dentro do ambiente escolar.

A Homelab valoriza a real ciência e sabe da necessidade da utilização de uma vidraria adequada, por isso fornece o Conjunto de Vidrarias de 156 peças e diversos outros materiais para áreas como ciências, física, biologia, matemática, geografia e história, os quais prometem também auxiliar os professores em incontáveis aulas práticas, as quais asseguram uma mudança extremamente positiva na educação da sua instituição de ensino.

Deixe seu comentário