Você sabia que o cérebro humano tem a consistência de um tablete de manteiga, sendo que, como o laticínio, 60% dele é composto por gordura? Ele pesa em média 1,36kg, comportando cerca de 100 bilhões de células nervosas. Nosso cérebro é mais poderoso do que qualquer computador já inventado, com um processamento de dados de 3 mil GHz. Cada impulso nervoso viaja pelo processador desse computador orgânico a uma velocidade superior a 400km/h, assim como, quando tocamos algo, enviamos uma mensagem para o cérebro numa velocidade de 200km/h.

Outra curiosidade interessante sobre o cérebro humano é que ele fica mais ativo justamente quando dormimos. Na fase REM (sigla para Rapid Eye Moviment) do sono, áreas do cérebro são desativadas, fazendo com que o corpo fique paralisado, por isso não caímos da cama. Quando uma pessoa está acordada, seu cérebro gera mais ou menos 25 watts de energia, o suficiente para acender uma lâmpada.

Se o cérebro ficar sem oxigenação por um período entre 5 e 10 minutos, os danos causados são irreversíveis. Não é possível reparar completamente algum dano feito a uma célula nervosa. Cada neurônio estabelece de 1 mil a 10 mil conexões com outros neurônios e, fazendo as contas, nosso cérebro chega a fazer 10 trilhões de conexões em toda a sua área. O órgão possui cerca de 25 mil centímetros quadrados. Cada vez que uma memória é criada, novas conexões entre os neurônios são feitas.

Para ensinar essas e outras curiosidades sobre o cérebro humano, utilize em sala de aula o cérebro com artérias em 9 partes da Homelab e deixe sua aula muito mais didática!

Compartilhe Tags
0 comentários

No século XVI, os cientistas faziam observações astronômicas a olho nu ou com equipamentos pouco eficientes. No início do século seguinte, o cientista Hans Lippershey inventou a luneta, instrumento óptico que funcionava a partir da conjunção de uma lente côncava e outra convexa, cujo nome era refrator. Em 1606, Galileu Galilei construiu a primeira luneta de que se tem notícia, utilizando-a para observar o céu. Assim surgiu a luneta astronômica, equipamento que revolucionou a ciência.

A luneta também é conhecida como telescópio refrator, justamente por utilizar o princípio da refração da luz em seu funcionamento, tendo como finalidade a aproximação visual dos objetos distantes. Ela é constituída por duas lentes com campos visuais, ou seja, distâncias focais, diferentes. A primeira lente, é objetiva e fica na ponta da luneta, com uma distância focal de poucos metros. A segunda lente, aquela que fica próxima de nossos olhos quando utilizamos a luneta, é uma lente ocular, com distância focal de poucos centímetros. Quanto maior a distância focal, maior a aproximação dos objetos.

A primeira lente, a objetiva, capta a luz refratando-a para a outra lente, a ocular, trazendo para o olho humano a vista dessa luz refratada. Essa imagem comporta-se como objeto para a segunda lente, a ocular, que funciona como uma lupa, produzindo uma imagem virtual maior do que poderíamos ver a olho nu. Por isso que as imagens distantes aumentam quando utilizamos a luneta.

Em 1680, Isaac Newton criou o telescópio refletor, um melhoramento da simples luneta. Em vez da combinação de duas lentes, Newton inseriu um espelho côncavo e um espelho plano para captar a luz e refleti-la no foco de visão. O espelho côncavo, assim, reproduz a imagem de um objeto distante situado em seu foco. Essa imagem também se comporta como um objeto virtual aumentado, refletido então pelo espelho plano e captado pela lente ocular, que funciona como uma lupa.

Para ver o que o céu e as estrelas têm para nos ensinar, conheça o telescópio em forma de luneta da Homelab e o telescópios astronômico da Homelab. Afinal, para nós, o céu não é o limite de alcance da ciência.

Compartilhe Tags
0 comentários

O solo é um grande filtro. Toda vez que é encharcado, a água dissolve os sais minerais nele presentes, fazendo com que as plantas os absorvam. A eficácia de retenção da água depende do tipo de solo. Uma experiência interessante para demonstrar essa capacidade filtradora do solo é utilizá-lo como filtro de água suja. Com o kit de ciências da Homelab, você terá em mãos os materiais necessários para a atividade.

Materiais:

— Coador de café

— 2 Filtros de café

— Carvão

— Areia

— Cascalho

— Frasco de vidro

— Água suja

Procedimento: primeiro, vamos tentar montar as camadas do solo dentro do coador de café, utilizando um dos filtros de café, o carvão, a areia e o cascalho. Comece posicionando o filtro dentro do coador. Esfarele o carvão, cobrindo bem o fundo. Forme uma segunda camada, espalhando a areia sobre o carvão e depois uma terceira camada com o cascalho. Então, posicione o coador dentro do frasco de vidro. O outro filtro de café será disposto por cima do coador.

Comece coando a água suja com cuidado sobre o primeiro filtro de café. As partículas maiores ficarão retidas nele. As partículas menores se depositarão no cascalho e as ainda menores ficarão retidas na areia, no cascalho e no filtro de café. A água filtrada irá aparecer no frasco de vidro.

Mesmo assim, essa água não ficará totalmente transparente e potável, pois uma purificação completa só pode ser obtida em estações de tratamento de águas residuais, que remove também as bactérias presentes. No entanto, a experiência comprova o poder filtrador do solo e como isso influi na nutrição das plantas.

Compartilhe Tags
0 comentários

4 Experimentos DNA

O DNA não é apenas um conteúdo complexo, mas também muito interessante! Por isso experimentos são uma excelente opção quando esse é o assunto sendo ensinado, pois eles usam a curiosidade dos alunos a favor do aprendizado e da criação de uma memória de longo prazo. Estes são alguns dos melhores experimentos que trabalham o DNA:

 

1. Como extrair DNA humano!

Este experimento vai ser melhor visualizado com a ajuda de um dos corantes da Homelab!

 

2. Como ver o DNA da cebola!

 

3. Construir um modelo de DNA!

O professor pode promover que seus alunos tragam materiais recicláveis de casa para construírem, em grupos e com auxílio dos professores, modelos de DNA! A Dupla Hélice de DNA da Homelab pode servir como guia visual!

 

4. Extrair o DNA do morango!

Para a atividade vai ser necessário selecionar 3 morangos e retirar os seus respectivos cabinhos verdes, em seguida, colocar os morangos dentro de um saco plástico e pressionar os mesmos até que eles se tornem uma pasta praticamente homogênea e então, transferir essa pasta para um becker. Em outro becker, misture 150 ml de água, uma colher (sopa) de detergente e uma colher (chá) de sal de cozinha. Mexa bem esta mistura com o bastão de vidro, porém devagar, para não fazer espuma alguma! O próximo passo é colocar cerca de 1/3 da mistura de água, sal e detergente sobre a “pasta” morango. Misturar levemente os ingredientes com a ajuda do bastão de vidro e incubar a mistura em temperatura ambiente por 30 minutos. O processo segue ao colocar uma peneira sobre o becker limpo e passar a mistura pela peneira para retirar os pedaços de morango que restaram e enfim, colocar metade do líquido peneirado em um tubo de ensaio. O ideal é colocar apenas cerca de 3 dedos no fundo do tubo e despejar delicadamente a mistura no mesmo (pela parede do mesmo, para escorrer pelo vidro) e sobre a solução, adicionar dois volumes de álcool comum. Não devemos misturar o álcool com a solução. Após aguardar cerca de 3 minutos  o DNA começar a precipitar na interfase.

A Homelab oferece materiais que trabalham em diversas áreas e que podem te auxiliar a melhorar o desempenho acadêmico dos alunos da sua instituição de ensino. Acesso nosso site e confira www.homelab.com.br

 

Compartilhe Tags
0 comentários

IMG_7774

O Berçário de Mudas trabalha com mais questões do que pode aparentar! Este material permite a análise e comparação do brotamento de sementes semelhantes com irrigação diversificada, por exemplo, com variação de quantidade de água, soluções ácidas, básicas, hormônios diversificados e ainda é possível fazer comparações com sementes variadas, onde é possível observar o tempo de brotamento, comprimento de raízes, resposta à irrigação e comparação de tempo de brotamento de sementes modificadas, condicionadas ao tipo de solo em que serão semeadas.

Porém, o que todo esse aprendizado traz como efeito na educação é o que realmente importa. Materiais simples como este podem mudar de maneira significamente a educação.

1.Promove a individualidade

Se a atividade de análise e comparação for realizada individualmente, cada aluno vai adquirir sua própria perspectiva sobre a situação, criando assim sua própria opinião sobre o tema e desenvolvendo o pensamento de forma individual. Esta questão da individualidade trabalha com a autoconfiança do estudante, o que impacta diretamente no desempenho do aluno em provas e testes individuais que o coloquem sob pressão.

A comparação e análise são o que permitem que alunos cheguem em uma conclusão própria, desenvolvendo o pensamento crítico. É de grande importância que o aluno desenvolva essas habilidades de forma individual, para assim formar sua própria personalidade e opiniões, e não baseá-la na do seu colega.

2. Desenvolve a paciência

hourglass-620397_960_720

Atualmente vivemos em um mundo muito imediatista, a paciências dos estudantes está cada dia menor. Porém, os experimentos que podem ser desenvolvidos no berçário são todos realizados durante um longo período de tempo (o que em si, já é uma vantagem para o professor que vai ter atividades diferenciadas garantidas por algumas semanas), o que acaba trabalhando com a questão do desenvolvimento da paciência nos jovens estudantes.

O desenvolvimento da paciência ajuda muito com o dilema da ansiedade, a qual é muitas vezes a grande culpada por alunos inquietos em sala de aula.

3. Facilita o ensino de botânica

A área da botânica é um das mais problemáticas dentro da biologia. A grande quantidade de informação nessa frente dificulta a memorização da matéria e confunde muito os estudantes.

O Berçário de Mudas trabalha com temas como angiospermas, morfologia externa, monocotiledôneas, dicotiledôneas; sistema de transporte, a nutrição das plantas e o sistema de controle nas mesmas.

Trabalhar com itens mais dinâmicos e práticos que permitam a visualização como o Berçário de Mudas pode ser uma ótima maneira de deixar a aula mais leve, ajudar na explicação, facilitar a compreensão e criar uma situação muito mais favorável a criação de uma memória de longo prazo.

4. Aborda de maneira divertida a ecologia

green-2551467_960_720

A preocupação com a natureza, aquecimento global, poluição e a natureza em si é um tema de extrema importância nos dias atuais. Até mesmo alguns dos países mais importantes do mundo demonstram a sua preocupação com a situação ecológica do nosso planeta.

Experimentos com o Berçário de Mudas contribuem para a criação de um apego emocional entre o aluno e a natureza em si, relação de extrema importância para garantir o futuro do nosso planeta. Além de permitir que o estudante compreenda o quanto a natureza é realmente complexa e isso, então, incentive um posicionamento de respeito e cuidado diante da mesma.

Como sempre, a Homelab tem consciência da importância de aulas práticas no dia-a-dia dos estudantes pois sabe que ao deixar as aulas mais dinâmicas, a compreensão do conteúdo fica mais fácil, permitindo assim um desempenho acadêmico ainda mais alto. Por esse motivo investe em materiais tão dinâmicos quanto o Berçário de Mudas em outras áreas, tais como Ciências, Química, Biologia, Matemática, Geografia e História.

Compartilhe Tags
0 comentários

IMG_7921

Os alunos desenvolvem preferência por certas matérias e áreas de conhecimento ainda cedo. Atividades divertidas, dinâmicas e práticas ajudam a criar uma ligação positiva entre o estudante e o conteúdo em questão. Apesar do conteúdo futuramente se aprofundar, as aulas de ciências no ensino fundamental, nada mais são do que física, química e biologia básica, ou seja, essa conexão positiva pode acabar se estendendo para essas outras matérias no ensino médio.

Laboratórios permitem que os estudantes tirem suas próprias conclusões do que observaram durante suas análises, o que, além de trabalhar com o raciocínio lógico, promove a independência de cada aluno.

Um laboratório de ciências pode ser o local perfeito para um berçário de mudas por exemplo. Este material permite o estudo da área botânica da biologia pela observação do comportamento de cada planta. O berçário gera a oportunidade de comparar o comportamento de cada muda, por exemplo, é possível realizar a análise do brotamento de sementes semelhantes sob circunstâncias diferentes e de sementes diferentes sob as mesmas circunstâncias.

A área da botânica tende a gerar muita dificuldade entre os alunos, as quais se intensificam mais ainda no ensino médio, quem sabe, o berçário seja a oportunidade perfeita para trabalhar com essa questão, pois atividades prática estão diretamente ligadas com uma boa memorização e compreensão de conteúdo.

Outro equipamento que permite o trabalho com a questão do aluno fazer as próprias descobertas, é o Pluviômetro Digital. Ele pode indicar a quantidade total de queda de água da última hora, últimas 24 horas e ainda a última chuva com hora e data de registro.

Cabe apenas ao professor saber utilizar estes materiais de maneira que cumpra o seu papel didático. Afinal, um laboratório de ciências é um local de descobertas e diversão, mas, acima de tudo, de aprendizado.

IMG_7389 (2)

Quando a questão são aulas práticas de ciências, os microscópios não podem ficar de fora. Além de normalmente chamarem muito a atenção e o interesse dos alunos, eles garantem ainda mais oportunidades para realizar experimentos dentro do ambiente laboratorial.

A realidade é que um laboratório de ciências permite que os professores brinquem com a questão das aulas dinâmicas, as opções são muitas e podem trabalhar desde os assunto mais básicos como os 5 sentidos até a questão do DNA. Todas essas possibilidades fazem com que este se torne um bom investimento, afinal, pode ser usado em todas as etapas do ensino fundamental e ainda é um grande diferencial da maioria das escolas.

A relevância de aulas dinâmicas e práticas não devem jamais ser menosprezadas. Além de auxiliar o professor na explicação, acelerar a compreensão do conteúdo, ajudar a manter o interesse dos alunos e permitir que os estudantes tirem dúvidas que surgem apenas na hora da prática, ainda trabalha diretamente com a criação de uma memória de longo prazo. Exatamente por ter consciência de tudo isto que a Homelab oferece materiais que trabalham com a dinamicidade e a prática em diferentes áreas, tais como Ciências, Química, Biologia, Matemática, Física, Geografia e História, focando sempre em diminuir a dificuldade de aprendizado dos estudantes e proporcionar um futuro ainda mais brilhante para a educação.

Compartilhe Tags
0 comentários

crédito Andreas Kristensson / Fotolia.com

A escola tem um papel importante no despertar do interesse por ciências. É o lugar em que as crianças têm o primeiro contato com o aprendizado, e é preciso se esforçar para incentivar a vontade de aprender, todos os dias.  As disciplinas que abordam ciência são uma maneira de mostrar aos alunos e também fazê-los compreender o mundo natural. E é por isso que a curiosidade tem um papel importante na educação, e deve ser estimulada desde no ensino infantil.

Uma das maiores responsabilidades no ensino das ciências é fazer com que os alunos aprendam e também entendam os fenômenos que acontecem na natureza. E a melhor maneira é inserir as ciências como algo realmente vivo no cotidiano escolar, com experiências, usando tecnologias e com aulas didáticas.

O grande desafio aos docentes é encontrar possibilidades de explicar os conceitos da física, química e biologia de maneira com que os alunos sintam-se motivados a saber cada vez mais. Mudar a forma de perceber a ciência é levar os alunos a aprender os fenômenos que acontecem todos os dias na natureza, desde o comecinho da manhã até o pôr do sol. E a compreensão das situações comuns é o que estimula o interesse dos alunos a aprender mais e se dedicar aos estudos.

Quando a criança entra em contato com o conhecimento científico, ela começa a enxergar os fenômenos e acontecimentos do mundo de maneira mais ampla, crescendo também como cidadãos. De maneira lúdica, eles aprendem os conceitos teóricos com mais intensidade, interagindo com o meio em que vivem.

Abrir a porta da sala de aula e olhar para o mundo é a melhor maneira de despertar a vontade pelo conhecimento e fazer da experimentação uma forma de aprendizagem. As crianças olham através dos microscópios e descobrem um mundo totalmente diferente.  Elas observam o céu com uma luneta e aprendem se divertindo sobre os grandes astros. E no laboratório, os alunos podem conhecer elementos, refletir sobre hipóteses, conhecer os fenômenos naturais e trabalhar em grupo.

Compartilhe Tags
0 comentários

shutterstock_127623848

Época de volta às aulas é também tempo de mudanças na escola. Mais um ano passou, e é preciso deixar a estrutura de maneira adequada, para receber os alunos e garantir um ensino de qualidade.

A renovação dos equipamentos de laboratórios é importante, pois os matérias serão manipulados durante todo o período letivo e precisam estar em ótimo estado. As experiências científicas realizadas nos laboratórios são usadas com o objetivo de ilustrar conceitos que são muito abstratos na teoria. Um laboratório repleto de equipamentos modernos e com segurança é o ponto inicial de um ensino de qualidade.

Confira 3 materiais para renovar sua escola para a volta às aulas:

 

#1. Conjunto de Vidraria para Laboratório

1242

Para o bom funcionamento do seu laboratório, é preciso equipamentos de qualidade. Não tem como falar de laboratório sem pensar na vidraria. Para tornar possível a realização de inúmeras experiências, é preciso uma boa quantidade de vidraria para manusear elementos químicos que muitas vezes são perigosos.

O Conjunto de Vidraria para Laboratório da Homelab é o melhor para manter seu laboratório completo e livre de riscos, possibilitando um maior aprendizado.

Você pode saber mais sobre a vidraria de laboratório, assistindo o vídeo abaixo:

 

#2. Kit de Ciência

1445

Muitas das disciplinas não deixam alternativas para um ensino didático. Com o Kit de Ciência, é possível utilizar atividades práticas para aulas de Ciências no Ensino Fundamental II, ensinar sobre análise de solos, noções sobre o Sistema respiratório, propriedades dos vegetais, Introdução à Química e à Física.

 

#3. Conjunto Guimarães para Física Geral

1306

O estudo das leis da física é essencial para o desenvolvimento escolar. Por ser uma disciplina que exige muito a atenção e compreensão dos alunos, muitas vezes é enfrentada com dificuldade. Mas,  as escolas e profissionais da educação devem procurar alternativas para que o conteúdo possa ser assimilado de maneira clara, e as aulas práticas são eficientes para trazer a compreensão absoluta das teorias. É a partir do ensino prático que o aluno consegue aplicar a teoria da física no cotidiano.

O Conjunto Guimarães para Física Geral é ideal para aulas práticas de qualidade. Através dos materiais adequados, ele permite o estudo da mecânica dos sólidos e dos fluídos, óptica, termodinâmica, ondulatória, eletricidade, eletromagnetismo e magnetismo. É possível ensinar e aprender em diferentes áreas de ação, um material para ser usado o ano inteiro.

Compartilhe Tags
0 comentários