esqueleto

 

Com um novo design e mais conteúdo, a nova Homelab Pocket está mais focada na área de educação e gestão escolar, para te auxiliar com ideias e dar dicas sobre a área de educação, ciência e pedagogia.

Confira aqui nossa nova Edição!

capa homelab pocket janeiro

Compartilhe
0 comentários

4 Experimentos DNA

O DNA não é apenas um conteúdo complexo, mas também muito interessante! Por isso experimentos são uma excelente opção quando esse é o assunto sendo ensinado, pois eles usam a curiosidade dos alunos a favor do aprendizado e da criação de uma memória de longo prazo. Estes são alguns dos melhores experimentos que trabalham o DNA:

 

1. Como extrair DNA humano!

Este experimento vai ser melhor visualizado com a ajuda de um dos corantes da Homelab!

 

2. Como ver o DNA da cebola!

 

3. Construir um modelo de DNA!

O professor pode promover que seus alunos tragam materiais recicláveis de casa para construírem, em grupos e com auxílio dos professores, modelos de DNA! A Dupla Hélice de DNA da Homelab pode servir como guia visual!

 

4. Extrair o DNA do morango!

Para a atividade vai ser necessário selecionar 3 morangos e retirar os seus respectivos cabinhos verdes, em seguida, colocar os morangos dentro de um saco plástico e pressionar os mesmos até que eles se tornem uma pasta praticamente homogênea e então, transferir essa pasta para um becker. Em outro becker, misture 150 ml de água, uma colher (sopa) de detergente e uma colher (chá) de sal de cozinha. Mexa bem esta mistura com o bastão de vidro, porém devagar, para não fazer espuma alguma! O próximo passo é colocar cerca de 1/3 da mistura de água, sal e detergente sobre a “pasta” morango. Misturar levemente os ingredientes com a ajuda do bastão de vidro e incubar a mistura em temperatura ambiente por 30 minutos. O processo segue ao colocar uma peneira sobre o becker limpo e passar a mistura pela peneira para retirar os pedaços de morango que restaram e enfim, colocar metade do líquido peneirado em um tubo de ensaio. O ideal é colocar apenas cerca de 3 dedos no fundo do tubo e despejar delicadamente a mistura no mesmo (pela parede do mesmo, para escorrer pelo vidro) e sobre a solução, adicionar dois volumes de álcool comum. Não devemos misturar o álcool com a solução. Após aguardar cerca de 3 minutos  o DNA começar a precipitar na interfase.

A Homelab oferece materiais que trabalham em diversas áreas e que podem te auxiliar a melhorar o desempenho acadêmico dos alunos da sua instituição de ensino. Acesso nosso site e confira www.homelab.com.br

 

Compartilhe
0 comentários

Experimentos são uma ferramenta essencial para garantir o maior aprendizado possível sobre qualquer matéria dada! Quando estamos falando sobre acústica, ir da teoria para a prática facilita com que os alunos compreendam os efeitos da mesma no mundo, ajudando até mesmo na memorização da matéria. Por isso a Homelab incentiva o uso de experimentos e materiais como o Conjunto de Acústica e Ondas, os quais promovem atividades práticas em sala de aula e nos laboratórios da sua instituição.

O Conjunto de Acústica e Ondas é a melhor opção, pois como foca especificamente no estudo da área, permite que incontáveis atividades sejam realizadas! Isso por que trabalha com o próprio som, ondas mecânicas longitudinais, velocidade do som, qualidades fisiológicas do som, interferências, batimentos, efeito Dopler, compreensão da recepção por um telefone celular, rádio, televisão, a visão, a audição, ondas em mola, ondas longitudinais, ondas transversais, ondas estacionárias, pulsos, reflexão de pulsos, nós, ventres, elongação, amplitude e velocidade de propagação do pulso. O material de excelente acabamento permite uma apresentação instigante do conteúdo para alunos e professores, isso porque vai da teoria até a prática,  pois isso envolve uma abordagem muito mais próxima da realidade dos alunos.

Alguns experimentos que podem ser realizados para facilitar o ensino sobre a acústica são:

  1. Enxergar a própria voz!

  1. Afinar instrumentos musicais!

O diapasão que faz parte do Conjunto de Acústica e Ondas é frequentemente utilizado para afinar instrumentos musicais. Tal atividade cotidiana pode ser demonstrada em sala de aula e até reconhecida por alunos que tenham um interesse maior pelo mundo da música. Compreender como esse fenômeno físico faz parte do dia a dia ajuda na memorização da matéria!

123456

3. Disco que toca dentro do crânio!

      4. Como enxergar o som!

A Homelab valoriza o uso de atividades dinâmicas durante o aprendizado pois sabe do grande impacto que elas podem ter quando o assunto é garantir que os alunos realmente tenham compreendido o que foi ensinado. Por esse mesmo motivo ela oferece materiais que trabalham em áreas como Ciências, Química, Biologia, Matemática, Geografia e História, focando sempre em diminuir a dificuldade de aprendizado dos estudantes, proporcionar um ensino cada dia melhor e mais completo graças aos materiais que garantam à instituição de ensino a oportunidade de gerar uma educação da mais alta qualidade.

Compartilhe Tags
0 comentários

IMG_7772Quando trabalhamos experiências para aulas práticas de laboratório de ciências naturais com os alunos do Fundamental I, simultaneamente desenvolvemos neles várias atitudes científicas, que são transversais a outras áreas do saber, e contribuem para o seu desenvolvimento emocional. Estas atitudes facilitam a aquisição de hábitos de estudo, promovendo a autonomia e o senso de responsabilidade.

Através das aulas práticas de laboratório de ciências naturais a escola pode e deve promover oportunidade para que os alunos desenvolvam atitudes e qualidades pessoais, como:

  1. Curiosidade;
  2. Respeito pela evidência;
  3. Espírito de abertura ao novo;
  4. Reflexão crítica;
  5. Perseverança;
  6. Espírito de cooperação.

Como as crianças aprendem:

Antigamente, acreditava-se que as crianças aprendiam apenas recebendo informações de um professor. O professor explicava, ditava regras, mostrava figuras. A criança ouvia, copiava, decorava e devia aprender. Quando não aprendia, culpava-se a criança (desatenta, irresponsável) ou falta de “jeito” do professor.

Atualmente existem outras ideias sobre aprendizagem. Essas não negam completamente as ideias antigas sobre o aprendizado. É possível aprender recebendo informações, treinando e decorando regras. Mas, dessa maneira, a compreensão daquilo que se aprende costuma ser bem pequena. O que hoje se procura é favorecer o aprendizado com compreensão.

 

Os pesquisadores concluíram que:

  1. a) crianças pensam de maneira diferente dos adultos;
  2. b) cada criança pensa diferentemente de outra;
  3. c) o pensamento evolui, passa por estágios; em cada estágio, a criança tem uma maneira especial de compreender e explicar as coisas do mundo.

O que é aprender hoje?

Aprender com compreensão é um processo pessoal, que acontece dentro da cabeça de cada um. Esse processo exige que o aprendiz pense por si próprio. Assim, simplesmente receber informações de um professor não é suficiente para que o aluno aprenda com compreensão, porque, nesse caso, a criança fica passiva, não pensa com a própria cabeça.

O pensamento e o aprendizado da criança desenvolvem-se ligados à observação e investigação do mundo. Quanto mais a criança explora as coisas do mundo, mais ela é capaz de relacionar fatos e ideias, tirar conclusões; ou seja, mais ela é capaz de pensar e compreender.

Por exemplo, as crianças que tiveram oportunidade de praticar relações com a natureza (plantar, pescar, ter animais) costumam ser mais capazes de resolver problemas biológicos e de preservação da natureza do que crianças que não tiveram tais experiências.

É justamente esta última ideia que tem motivado os educadores a buscarem meios de fazer a criança explorar o mundo à sua volta. Os materiais do Projeto de Ciências proporciona para as crianças o contato da ciência de uma forma mais real.

A utilização adequada dos materiais:

O professor precisa ficar alerta sobre alguns elementos importantes na utilização de materiais concretos. As noções científicas se formam na cabeça da criança e não estão no próprio material.

O material favorece o aprendizado, desde que seja bem utilizado.

Vejamos o que significam essas três afirmações, em termos práticos:

  1. Primeiro, o material deve ser oferecido às crianças antes das explicações teóricas e do trabalho com lápis e papel. É preciso que os alunos tenham tempo e liberdade para explorar o material, brincar um pouco com ele, fazer descobertas sobre eles. 
  2. Após algum tempo de trabalho livre, o professor pode intervir, propondo questões, estimulando os alunos a manifestarem sua opinião. São essenciais, neste início, a ação e o raciocínio do aluno, pois é só ele mesmo que pode formar as noções científicas.
  3. A partir da observação e manipulação, da troca de ideias entre alunos e entre estes e o professor é que as relações científicas começam a ser percebidas e enunciadas. O professor deve então, aos poucos, ir organizando esse conhecimento.

 

Para concluir, podemos dizer que a atitude adequada do professor, em relação ao uso do material concreto, decorre de ele conceder o ensino de ciências nas séries iniciais como um convite à exploração, à descoberta e ao raciocínio.

Os materiais do Projeto de Ciências não precisam necessariamente estar dispostos em um laboratório ou sala especial, podem ser levados para a sala de aula, facilitando o trabalho do professor e dinamizando o estudo. Entre as opções, destacamos o Kit de Ciência – Cód 18995,  que atende do 1º ao 9º ano do ensino fundamental. Clique aqui e saiba mais!

 

kit-de-ciencia

A Homelab disponibiliza uma série de materiais com experiências e outros conteúdos que podem ajudar professores, gestores e alunos a tornarem as aulas de ciências ainda mais produtivas e dinâmicas. Também oferecemos uma linha completa de equipamentos científicos para o seu laboratório, como microscópios e outros acessórios. Ficou interessado? Acesse o nosso site, conheça nossas soluções e faça um orçamento.

Compartilhe
0 comentários

shutterstock_199611932Neste domingo (12) é comemorado o Dia do Diretor de Escola, esse profissional que surpreendentemente precisa reunir várias qualidades, como: administrador, líder, psicólogo, motivador e professor.

Nós da Homelab, estamos em contato diariamente com vocês, diretores escolares de todo o Brasil e, por isso, entendemos e compartilhamos os desafios vividos por essa profissão.  Acreditamos que o futuro da Educação passa por suas mãos. Por isso, nesta data tão importante e significativa para você e também para nós, desejamos a você: SUCESSO.

Mas para nós o que é SUCESSO?

É rir muito e com frequência, brincar com as dificuldades do dia a dia sem deixar de trata-las com seriedade, ganhar o respeito e o afeto dos pais e alunos da sua instituição, merecer a consideração de seus funcionários, apreciar a beleza de cada manhã, encontrar o melhor em tudo o que faz e deixar o mundo um pouco melhor porque você viveu, trabalhou e amou intensamente.

Confira abaixo, os 4 segredos de um Diretor Escolar de sucesso:

shutterstock_590602571

1 – COMPORTAMENTO: Sabe ouvir. É humilde. Ajuda as pessoas a serem felizes. Agradece. Estuda. Brinca. É Educador.

2 – ATITUDE: Exige o melhor. Trata bem todos, funcionários, alunos e pais. É rápido nas decisões. É detalhista. É Educador.

3 – PLANEJAMENTO: Encara os problemas. Antecipa cenários.  Não tem prioridades imutáveis.  Tem olhos no amanhã. Sai da caixa. É Educador.

4 – GESTÃO: Inova. Não improvisa. Contrata bem funcionários e professores. Gerencia os processos e as pessoas. Lidera com sentimento, carinho e atenção. É Educador.

As atividades de um diretor escolar têm o potencial de mudar todo um sistema educativo, empregando formas mais eficazes de garantir o bom funcionamento da instituição, trazendo benefícios para todos que fazem parte dela.

Nossas dicas ajudaram-no a vislumbrar novos horizontes? Então compartilhe este texto com seus colegas e comemore bastante seu dia!

Feliz Dia do Diretor!

Compartilhe
0 comentários

cjBiologia é a ciência que estuda os seres vivos e os fenômenos ligados à vida, à sua origem e à sua evolução. Essa disciplina é essencial para a compreensão do funcionamento do nosso ecossistema e de toda a biodiversidade que o compõe.

A grande diversidade de seres vivos e as diferentes áreas de estudo em que a Biologia se divide a tornam uma ciência de grande capacidade interdisciplinar. Ela é capaz de integrar conhecimentos com outras disciplinas como Física, Química, Geografia e até mesmo a Matemática.

A Biologia está presente em praticamente todos os acontecimentos do nosso cotidiano, e influencia diretamente em tudo que está relacionado aos seres vivos. Dos mecanismos que regulam as atividades vitais às relações que as diferentes espécies estabelecem entre si e o ambiente em que estão inseridas, essa é a ciência que permite a compreensão de todos esses fenômenos.

Nesse contexto, o estudo da Biologia consiste em conhecer o modo como o mundo se organiza. Para isso, requer uma visão crítica, que nos permita entender todos os processos biológicos e, assim, conhecer os conceitos científicos essenciais para o entendimento da vida.

Sendo assim, hoje vamos mostrar mais um exemplo de atividade para ser realizada em sala de aula com os alunos do Ensino Fundamental e Médio. O objetivo é utilizar os conhecimentos em Biologia, mais precisamente em taxonomia, e criar uma chave dicotômica para identificar diferentes amostras de organismos.

Antes de começar, porém, vamos entender um pouco mais sobre o que vamos estudar.

A Taxonomia

A taxonomia é um ramo da Biologia que ordena e classifica os seres vivos. De acordo com alguns cientistas, essa é considerada a ciência mais antiga que existe, uma vez que é inerente ao homem a necessidade de classificar o universo que o cerca.

A taxonomia estuda as relações entre os diferentes organismos, seguindo uma lógica evolutiva. Essa ciência agrupa os seres vivos conforme as características em comum que eles apresentam, dividindo-os em grupos e subgrupos. A cada uma dessas divisões, as semelhanças ficam mais acentuadas. Em suma, esse sistema permite compreender o grau de parentesco entre os seres e entender melhor a evolução na Terra.

O principal nome da taxonomia é o naturalista sueco Carl von Linné, criador do sistema de classificação de seres dos seres vivos que é referência até os dias de hoje. Essa classificação acontece na seguinte ordem decrescente: reino, filo, classe, ordem, família, gênero e espécie. Cada um dos grupos de classificação é chamado de táxon.

A divisão e identificação dos seres vivos é essencial para a ciência, auxiliando na elaboração de  inventários e descrições sobre a biodiversidade do nosso planeta e ajudando na sua conservação. Sem a classificação dos organismos de uma determinada área, por exemplo, seria impossível estimar a diversidade e estudar esses seres.

A Chave Dicotômica

A chave dicotômica é um método muito utilizado por cientistas e pesquisadores na classificação de seres vivos ou na identificação de organismos desconhecidos na taxonomia, facilitando a organização de informações. Por meio de descrições sistemáticas, esse sistema oferece uma série de questões com duas alternativas opostas, possíveis de serem respondidas somente a partir da observação. Cada resposta leva a novas questões, até que se chegue a um resultado que possibilite a classificação.

A Atividade

Para esse experimento você vai precisar de:

Para começar, divida a classe em 10 grupos de alunos. Distribua entre os eles diferentes amostras do Conjunto Simulador. Oriente cada grupo a criar uma chave dicotômica a partir de suas amostras. Troque os materiais entre os grupos e peça que cada um determine as amostras a partir da chave dicotômica recebida. Ao término da atividade, todos devem apresentar o resultado final de sua análise.

O Conjunto Simulador para chaves dicotômicas faz parte do Conjunto para Múltiplas Ciências da Homelab. O kit é destinado ao estudo de Biologia, Química, Física e Matemática para alunos do 9º ano do Ensino Fundamental e também do Ensino Médio. Nele, são encontrados os materiais necessários para o desenvolvimento de exercícios relacionados a essas disciplinas, facilitando a realização de atividades em sala de aula ou no laboratório e estimulando a interdisciplinaridade e a interação dos alunos com as ciências.

A Homelab disponibiliza uma série de materiais com experiências e outros conteúdos que podem ajudar professores, gestores e alunos a tornarem as aulas de ciências ainda mais produtivas e dinâmicas. Também oferecemos uma linha completa de equipamentos científicos para o seu laboratório, como microscópios e outros acessórios. Ficou interessado? Acesse o nosso site, conheça nossas soluções e faça um orçamento.

Compartilhe Tags
0 comentários

IMG_8144 (1)

Permitir interação e uma visualização em 3 dimensões da matéria é uma das melhores formas de garantir que os alunos compreendam plenamente a matéria. Por isso materiais como a cabeça com pescoço musculadoesqueleto articulado musculadomão muscular em 3 partes e o modelo muscular de 50 centimetros são excelentes ferramentas de ensino.

figura-muscular-assexuada--cm-com--partes-com-orgaos-internos_1

figura muscular assexuada com 27 partes e orgãos internos apresenta com alta fidelidade anatômica os músculos, ossos e cartilagens dos membros superiores e membros inferiores, tórax e abdômen com órgãos internos. Além de rico em detalhes, o modelo pode ser dividido em até 30 partes e apresenta 238 regiões numeradas e classificadas para estudo. Um material como esse, de alta qualidade, tão completo e repleto de oportunidades acadêmicas muda de forma drástica e positiva a educação e permite que o aprendizado vá mais além!

Além de que quando o assunto são os músculos, diversas atividades com os alunos podem ser realizadas. Afinal, com simples movimentos físicos os alunos conseguem sentir e criar consciência da localização de certos músculos em seus próprios corpos. O professor pode realizar tal atividades com a classe e apontar o mesmo músculo os quais os alunos estão sentindo em um dos modelos 3D que a Homelab oferece.

A Homelab não trabalha apenas com os modelos em 3D, ela oferece materiais para áreas como CiênciasQuímicaBiologiaMatemáticaGeografia e História, focando sempre em diminuir a dificuldade de aprendizado dos estudantes, proporcionar um ensino cada dia melhor e mais completo graças aos materiais que garantam à instituição de ensino a oportunidade de gerar uma educação de alta qualidade.

Compartilhe
0 comentários

 

IMG_8117 (1)

Aprender sobre a anatomia humana é algo complexo, são diversos termos novos, uma grande quantidade de conteúdo que precisa ser decorado e além disso, absorvido verdadeiramente pelos alunos para então se tornar uma memória de longo prazo. Com as articulações não é diferente, por isso cabe a sua instituição de ensino utilizar os materiais e métodos ideais para que os estudantes aprendam sobre este tema.

Usar o propostas dinâmicas e lúdicas são ótimos meios de facilitar a absorção do conteúdo. Brincadeiras podem se tornar as melhores amigas do aprendizado, pois promovem que o conteúdo seja explorado de maneira leve e lúdica, garantindo um aprendizado de maior qualidade e com mais rapidez. Desafios em equipe onde o professor faz perguntas sobre articulações específicas do corpo humano e o time de alunos que acertar mais respostas ganha algum prêmio (escolhido pelo educador) são ótimas opções, além de serem bons incentivos aos estudantes! Atividades como estas usam a competitividade de cada um a favor do aprendizado e educação.

Outra opção são materiais específicos, focados na matéria em questão, tais como o braço com músculo articulado, articulação da mão, cotovelo, joelho, do pé, ombro, quadril e até mesmo um esqueleto completo articulado! Todos permitem que os alunos visualizem a matéria fora das páginas do material didático, além de marcarem a memória mais facilmente, esses materiais ajudam o estudante a compreender de forma completa o conteúdo.

A Homelab acredita que os materiais didáticos ideais podem mudar completamente a qualidade da educação da sua instituição de ensino, por isso a Homelab fornece uma linha completa de materiais de laboratório que auxilia no ensino prático das ciências. Acesse o nosso site, consulte nossos produtos e solicite um orçamento.

Compartilhe Tags
0 comentários

IMG_8125 (1)
O Esqueleto Articulado e Musculado é um material atípico, perfeito para criar um ambiente mais leve, divertido e dinâmico em sala de aula. Os ossos em si são um conteúdo muito complicado, afinal, são muitos nomes e fatos para serem decorados. Quando o conteúdo explicado pede que uma grande quantidade de conteúdo seja decorado, é necessário utilizar todas as ferramentas.  
esqueleto--m-articulado-musculado

O material é confeccionado em resina plástica rígida em cor natural e é composto por articulações com ligamentos, origem e inserção dos músculos. Repletos de detalhes anatômicos para permitir que o professor lecione da melhor forma possível, tais como a  calota craniana, arcada dentária com três elementos móveis, a cavidade nasal, conduto auditivo, cavidade orbitária, coluna vertebral, esterno, clavícula, costelas, escápula, úmero, cubito, rádio, ossos do carpo, metacarpos, falanges, sacro ílio, ísquio, sínfise pública, cóccix, púbis, articulação sacro ilíaco, fêmur, patela, tíbia, fíbula, ossos do tarso, calcaneo e metatarsos, tudo isso acompanhado de um suporte com rodas que permite maior mobilidade do equipamento.

Materiais diferentes e inovadores como o esqueleto articulado promovem aulas dinâmicas e diferentes, o que é a melhor opção quando assunto é  garantir aulas mais produtivas, que se conectem mais profundamente com os estudantes e que fiquem guardadas nas memórias deles.

Compartilhe Tags
0 comentários

brain-1845962_1920

Assim como diversas outras partes do corpo humano, o cérebro é complexo, o que o torna uma grande fonte de dúvidas. Por isso materiais como modelos em 3D acabam se tornando ferramentas essenciais, as quais podem mudar tudo quando o assunto é o aprendizado e a criação de uma verdadeira memória de longo prazo sobre o tema.

Um modelo em 3D muito interessante é a Cabeça em 10 Partes com Cérebro, que apresenta uma anatomia completa e interessante aos olhos do estudantes.

cabeca-em--partes-com-cerebro

Para promover uma outra visão, em outro ângulo, que também aborde mais da anatomia da cabeça, a Cabeça em Corte Mediano é a melhor escolha. Usar os dois materiais juntos seria o ideal, afinal, promove a oportunidade de trabalhar com todas as áreas do cérebro de maneiras diferentes e muito mais completa.

cabeca-em-corte-mediano-1

Já o Crânio com Coluna Cervical permite abordar uma outra questão do cérebro, a sua ligação com a coluna em si, isso pois o material conta com sete vértebras cervicais, disco invertebrado, nervos cervicais, mandíbula articulada com três elementos removíveis, medula espinhal, cavidade orbital, cavidade nasal, articulação vertebral e o próprio cérebro.

A visualização e interação que os modelos em 3D possibilitam, transforma a didática, a aula e principalmente, marcar a memória dos alunos. Isso porque foge do padrão e cria uma situação muito mais dinâmica e propícia ao aprendizado.

A Homelab não trabalha apenas com os modelos em 3D, ela oferece materiais para áreas como Ciências, Química, Biologia, Matemática, Geografia e História, focando sempre em diminuir a dificuldade de aprendizado dos estudantes, proporcionar um ensino cada dia melhor e mais completo graças aos materiais que garantam à instituição de ensino a oportunidade de gerar uma educação de alta qualidade.

Compartilhe Tags
0 comentários