Cópia de IMG_7610

Uma das maiores vantagens das aulas práticas é desenvolver nos alunos a capacidade deles tirarem suas próprias conclusões e melhorarem a habilidade de análise de dados, além de deixar a aula mais divertida, instrutiva e facilitar a compreensão do conteúdo. Desde experimentos simples até os mais complicados, são várias as opções que podem ser realizados com a ajuda da Balança de Precisão, afinal, ela é um equipamento básico e totalmente essencial em qualquer laboratório. Estes são apenas 3 dos experimentos que podem ser desenvolvidos com este material:

1. O mais leve e o mais pesado!

Que tal transformar a aula em uma competição saudável? O professor pode disponibilizar uma balança para cada grupo de alunos, com a ajuda de objetos que os próprios estudantes possuem, como lápis, canetas, borrachas, o próprio estojo deles e até mesmo os celulares a atividade pode ser realizada. Todos devem pesar o seu material, por exemplo, cada aluno pesa seu estojo, o mais leve e o mais pesado da classe ganham um ponto. O aluno que tiver o maior número de pontos ganha um prêmio de escolha no professor!

2. Qual é mais pesado?

Outra atividade que o professor pode promover ainda incentivando a competitividade é dar 2 opções aos alunos, como uma certa quantidade de água e pouca quantidade de outro material extremamente mais denso. De longe o professor pode promover que os estudantes adivinhem qual é mais pesado e então abordar a questão da densidade de forma dinâmica e surpreendente após apresentar os resultados finais.

3. A água furiosa!

Materiais:

Além de ser um equipamento necessário em diversas experiências que o professor pode realizar ou pedir para que os estudantes realize em sala de aula, a Balança de Precisão pode ser utilizadas no preparo prévio de materiais para as aulas.

A Balança de Precisão vendida pela Homelab é eletrônica, tem uma capacidade de 5010g, precisão de 1g, com microprocessador, tara subtrativa em toda a escala. Display digital de cristal líquido (LCD) com 8 dígitos de 7 segmentos (o que facilita a leitura pelo usuário), unidades de pesagem disponíveis em g, kg e ct, o que consequentemente facilita a interpretação dos dados obtidos em sala de aula. O equipamento possui 8 funções: pesagem simples, contagem de peças, porcentagem absoluta, porcentagem relativa, verificação de peso, cálculo estatístico, pesagem de animais vivos e função básica (incorpora contagem de peças e porcentagens absoluta e relativa). Além de ser ajustável ao ambiente de trabalho com dois níveis de velocidade de leitura, ela possui comunicação com Excel, Hiperterminal e Bloco de Notas através da saída serial RS232! O modelo é aprovado pelo Inmetro conforme portaria Inmetro/dimel nº 0008, de 05 de janeiro de 2012.

balanca-de-precisao

A Homelab valoriza atividades que mudem a rotina, assim como as citadas anteriormente, por isso trabalha com materiais para áreas como Ciências, Química, Biologia, Matemática, Física, Geografia e História, esperando que com o auxílio de seus materiais a educação se torne cada dia mais prática e efetiva.

maxresdefault

O agitador magnético pode ser usado para muitos fins. Ele facilita e acelera diversas experiências que podem ser usadas como ferramenta de ensino durante o processo de educação, aqui vamos citar 2 exemplos que se tornam muito mais divertidos com o uso desse material.

1. Tornado magnético!

2. Vai e vem das cores!

Para esta experiência, vão ser necessários:

O primeiro passo é adicionar alguns mililitros da solução de indicador universal a cerca de 800 mL de água, até que a coloração esteja intensa, tudo isso dentro de um béquer. Em seguida, coloque o béquer sobre o agitador magnético, acrescente a barra de ímã e ligue a agitação. Então, coloque uma colher de chá de leite de magnésia. Adicione 2 a 3 mL da solução de ácido clorídrico no béquer sob agitação. Observe o que acontece. Continue adicionando alíquotas de 2-3 mL de ácido.  

O experimento leva mais ou menos 30 minutos e pode ser usado para abordar a questão do pH em sala de aula!

A Homelab sabe da importância da visualização da matéria, de aulas dinâmicas, práticas e dos experimentos durante o complicado processo de aprendizado e trabalha sempre sob os ideais de uma educação em constante evolução. É por esse motivo que a Homelab oferece materiais que trabalham com essa questão em diferentes áreas, tais como Ciências, Química, Biologia, Matemática, Geografia e História, focando sempre em diminuir a dificuldade de aprendizado dos estudantes.

thermometer-869392_1920

Quando queremos estudar as trocas de calor entre dois ou mais corpos (principalmente se um deles está no estado líquido), o ideal é ter um recipiente adequado, que permita obter informações sobre o calor que foi trocado entre os corpos! Esse tipo de recipiente deve facilitar o contato térmico entre os corpos e dificultar o máximo possível as trocas de energia térmica com o meio externo. De maneira resumida, a ideia é que dentro deste recipiente, o calor cedido por um corpo seja igual ao calor recebido pelo outro, sem perda para o ambiente, o que permite uma maior precisão na hora de calcular dados como a capacidade térmica e o calor específico. Este recipiente ideal se chama calorímetro.

Historicamente, as medições bem mais precisas feitas graças ao uso de calorímetros ajudaram a sociedade a entender até mesmo a estrutura molecular e atômica da matéria! Com a ajuda de medidas que eles obtiveram com estes experimentos, os cientistas conseguiram desenvolver quadros com as capacidades de calor de cada substância, os quais hoje em dia são utilizados em sala de aula!

O calorímetro, este interessante e essencial equipamento que é comercializado pela Homelab, é muito utilizado para  determinar o calor específico das substâncias. Geralmente, para tal atividade, despeja-se água no seu interior e após um intervalo de tempo que vai garantir que o sistema se encontre em equilíbrio térmico, se adiciona o corpo que se quer estudar dentro da água, com temperatura inicial diferente do sistema já existente da água-calorímetro.

Quanto ao seu uso de forma didática, as características desse material o tornaram o equipamento perfeito para tratar do estudo de áreas como a termofísica, calorimetria, termodinâmica e fenômenos de transporte! Através dos dados disponibilizados pelo material, é possível determinar várias grandezas térmicas de um material como, por exemplo, a capacidade térmica e o calor específico. O professor pode inclusive promover que seus estudantes usem o aparelho para medir as mudanças de temperatura da água ao longo do tempo, assim permitindo que os alunos desenvolvam uma compreensão bem maior das medições de energia, tudo isso de forma bem mais dinâmica e visual, o que, como sabemos, ajuda imensuravelmente no processo de criação de uma memória de longo prazo!

A Homelab oferece os melhores produtos e equipamentos focados no ensino prático de diversas áreas além da física, tais como Ciências, Química, Biologia, Matemática, Geografia e História. Por meio dos materiais que disponibiliza, a Homelab garante que as aulas se tornem cada dia mais dinâmicas e que os conteúdos sejam compreendidos mais facilmente, tendo como consequência final, um melhor desempenho escolar!

Compartilhe Tags
0 comentários

IMG_7532

O dinamômetro é um aparelho utilizado para medir a força aplicada em algo. No nosso dia a dia ele é muito utilizado para medir o peso de peixes por pescadores ou o de malas por viajantes que não querem ultrapassar o peso limite! O seu uso de forma didática é igualmente impactante e importante, este pequeno aparelho pode tornar as aulas de física muito mais explicativas, dinâmicas e ainda, levar aplicações práticas para dentro da educação e assim facilitar o processo de aprendizado.

Esses 2 experimentos ajudam o professor a demonstrar aos alunos quanto a matéria, apesar de parecer simples, na realidade, pode surpreender. Assim tornando o conteúdo em algo muito mais interessante e relevante.

1. Peso e água:

O experimento  é simples, basta prender ao dinamômetro um objeto e em seguida, com o objeto ainda ligado ao dinamômetro, colocá-lo na água e observar a mudança nos dados que o aparelho vai apresentar. A diminuição do peso ocorre graças ao empuxo.

2. Arrastar um objeto:

A ideia durante este experimento é analisar a diferença que o atrito pode fazer quanto ao uso da força! Para essa atividade, serão necessários:

  • 2 superfícies diferentes, uma lisa e uma que gere mais atrito (como vidro e areia);
  • 2 objetos, um liso e um que gere atrito (como blocos de gelo e bolas de tênis);
  • 1 dinamômetro.

Primeiro, é preciso arrastar o objeto liso (como o bloco de gelo) sobre a superfície lisa (como vidro) e outra superfície que gere atrito (como areia), tudo isso utilizando o dinamômetro para medir a força que foi utilizada para tal atividade.

Em seguida, a ideia é repetir o mesmo processo, porém como um objeto que provoque mais atrito (como a bola de tênis) sobre as mesmas superfícies, a lisa e a que gera atrito.

O professor pode promover que os alunos analisem os dados apresentados pelo dinamômetro, assim compreendendo de maneira mais completa a diferença que o atrito causa quanto a força aplicada em cada objeto!

As opções de atividades que podem ser desenvolvidas com o auxílio de dinamômetros não acabam por aí. As possibilidades são infinitas pois o material abrange muitas áreas que são frequentemente mencionadas em aulas de física, porém, raramente demonstradas.

conjunto-de-mecanica-arete

Com a ajuda do Conjunto de Dinamômetros da Homelab, os alunos podem ver na prática questões da física clássica, como a mecânica dos sólido, estática e dinâmica; além da mecânica dos fluidos, estática e sua dinâmica. Além disso, a Homelab oferece outros conjuntos que podem auxiliar nas aulas de física como o Conjunto de Física Básica I, Conjunto de Mecânica Arete e o Conjunto para Lei de Hooke e Principio de Arquimedes.

IMG_7621

O pH, apesar de muitos alunos não saberem, está a nossa volta o tempo todo, no que comemos, bebemos e no nosso próprio corpo! Com a ajuda dessas atividades, os estudantes vão ser capazes de reconhecer a presença do pH no seu dia a dia, levando o aprendizado para outro nível e assim garantindo a total compreensão da matéria!

Teste de sabor do pH!

fruit-2454125_1920

Um fato curioso é que substâncias ácidas tendem a ter o gosto azedo e as básicas, sabor amargo. O professor pode propor que os estudantes provem substâncias como suco de laranja ou limão e água com bicarbonato de sódio sem saber o que são cada uma delas. Os alunos vão notar a diferença e o professor pode usar esta curiosidade como um método para facilitar a memorização do que é ácido e o que é básico, além de deixar a aula muito mais divertida.

No final, o professor ainda pode utilizar um pHmetro portátil para medir o pH de cada substância antes de revelá-las aos estudantes, assim fazendo com que eles próprios cheguem a conclusão da relação existente entre o sabor e o pH.

A chuva ácida!

Diferenças no pH de diferentes marcas de água mineral!

bottle-2032980_1920

Esta atividade é extremamente fácil e se os estudantes já tiverem o costume de levar garrafas de água para a sala de aula, ela pode até mesmo ser realizada sem muito planejamento prévio. No rótulo de qualquer água mineral é apresentado o pH daquela água específica, o que acaba se tornando muito interessante, afinal, algumas marcas vendem uma água extremamente alcalina, com um pH que chega a 10 e outras águas minerais já são altamente ácidas, com o pH menor do que 4! Inclusive, o pH varia muito dentro de uma mesma marca, isso graças às suas diferentes fontes.

Experiências com ácidos!

Todos os materiais químicos e de laboratório necessários para essas experiências podem ser encontrados aqui e aqui.

A Homelab sabe da importância de aulas dinâmicas e práticas quanto ao quesito da compreensão da matéria, por isso sempre incentiva o uso de experimentos como parte da didática e por meio de sua linha completa de materiais, auxilia a instituição de ensino e os professores no ensino de química, além de diversas outras áreas!

Compartilhe Tags
0 comentários

beber o arco-iris

A densidade de líquidos pode parecer muito confusa, afinal, como pode algum líquido ser mais pesado do que outro? Realmente não é um tópico que é trazido à tona em outros momentos da vida, o que, como sabemos, pode causar dificuldade graças ao fato de que a matéria não é realmente observado durante o dia-a-dia e se é observada, é vista como algo rotineiro e não como ciência. Porém, a realidade é que a densidade está a nossa volta o tempo todo. Em um copo de água com o gelo boiando e um de bebida alcoólica com o gelo no fundo do copo e até mesmo nos icebergs flutuando no oceano.

A necessidade de uma atividade prática vem da ideia de que se um aluno conseguir observar o fator acontecendo com os próprios olhos, ele vai ser capaz de compreender o assunto melhor. Já a proposta de algo dinâmico e lúdico para se conectar com o emocional do estudante consegue garantir que ele vai memorizar a matéria pois, ao se conectar com esta parte do cérebro, a memória tende a se tornar de longo prazo.

Esta experiência brinca com os dois fatores: visualização e a ludicidade.

Este experimento pode ser feito em grande escala dentro de uma proveta graduada de 100ml do conjunto de vidrarias. A brincadeira exige uma pipeta que está disponível no nosso conjunto básico para laboratório de 57 peças. Este conjunto, além de proporcionar o material para esta atividade, também permite que a imaginação do professor crie muitos outros experimentos além de garantir equipamentos de qualidade para um laboratório de química.

IMG_7449

A Homelab oferece uma linha completa para que o estudo de matérias como Química, Física, Matemática, Geografia, Ciências e Biologia se torne cada dia mais interessante, cativante, e como consequência, os alunos consigam aprendem a matéria cada dia com mais facilidade e os resultados acadêmicos se tornem ainda mais altos dentro da instituição de ensino.

Imagem: Impactos Ambientais

O efeito estufa é um fenômeno natural que está se tornando nocivo ao nosso planeta em virtude do aumento da emissão de gases prejudiciais, através da ação do homem.

O efeito estufa é um fenômeno natural que ocorre em nosso planeta, a fim de manter sua temperatura sempre constante e adequada para a vida na Terra. Se não existisse esse fenômeno, a temperatura do nosso planeta ficaria muito baixa e não existiria vida e nem água na forma líquida.

Depois de explicar o que é o efeito estufa, o professor pode perguntar aos alunos: “Mas se o efeito estufa é um fenômeno natural, por que nós devemos nos preocupar tanto com ele?”.

O grande problema do efeito estufa é que, no último século, as emissões de gases produzidos pelas atividades humanas, como gás carbônico, metano e óxido nitroso, aumentaram muito, fazendo com que a temperatura na Terra se elevasse, prejudicando o clima do planeta. Muitos estudiosos preveem inúmeros desastres se a emissão de gases continuar a aumentar na mesma velocidade dos últimos anos. Dentre essas consequências, podemos citar algumas, como:

a)    O derretimento das calotas polares, que levará ao aumento do nível do mar e consequentes inundações das costas dos continentes, com grande risco de desaparecimento de cidades litorâneas;

b)    Alterações nas correntes litorâneas podem afetar a distribuição de calor na Terra;

c)    Regiões férteis podem se tornar desertos;

d)    Como consequência das variações climáticas, tempestades violentas podem ocorrer;

e)    O superaquecimento intensifica a proliferação de insetos prejudiciais à saúde humana.

Várias são as consequências do efeito estufa e é dever do professor conscientizar os alunos sobre isso, explicando por que a ação humana tem agravado tanto esse fenômeno natural. Para isso, propomos uma atividade prática bem simples, visando o entendimento do aluno sobre o efeito estufa.

Material necessário

– Dois copos plásticos;

– Uma garrafa pet transparente e vazia;

– Tesoura;

– Água.

Como fazer

– É interessante que essa atividade seja feita em um dia ensolarado;

– Com a tesoura, corte a garrafa pet ao meio;

– Encha os dois copos com água;

– Coloque os dois copos cheios de água em um local onde recebam a luz direta do Sol;

– Coloque a metade inferior da garrafa com a boca voltada para baixo sobre um dos copos;

– Depois de mais ou menos uma hora, retire a metade da garrafa de cima do copo e peça que os alunos coloquem o dedo dentro dos dois copos e respondam as questões:

1) Qual copo estava com a água mais quente? Explique por que.

2) O aumento na quantidade de gases na atmosfera provoca um efeito igual ao que fizemos na atividade. Qual é o nome desse efeito? Escreva algumas consequências dele.

3) O que eu posso fazer para diminuir a minha emissão de gás carbônico para a atmosfera?

4) Se eu seguir a regra dos três Rs (reduzir, reutilizar e reciclar), estarei ajudando a diminuir as consequências do efeito estufa?

Fonte: Brasil Escola

Compartilhe Tags
0 comentários