Kit de Ciências para o Ensino Fundamental

Como ensinar ciências de forma prática para os alunos do Ensino Fundamental? Através do kit de ciências Homelab desenvolvido com base nos conteúdos escolares destinados a essa faixa etária. Além de ser completo, pode ser usado tanto no laboratório de ciências quanto em sala de aula.

O kit auxilia na compreensão prática de conteúdos como:

Física

— Leis fundamentais da física

— Iniciação à conceitos de ótica

— Conceitos básicos de astronomia: pontos cardeais e fases da Lua

— Desenvolvimento do processo de obtenção de medidas

Biologia

— Botânica: análise de solos

— Botânica: análise de plantas

Química

— Conceitos básicos de química

— Reações químicas simples

Entre as aplicações práticas, o kit acompanha também um roteiro que explica passo a passo mais de 80 experimentos que ajudam os alunos a compreender esses conceitos físicos, biológicos e químicos. Esses experimentos podem ser feitos tanto por professores especializados quanto por professores de formação mais generalista, atendendo às demandas de conteúdo aplicadas ao Ensino Fundamental.

O kit também foi desenvolvido para estimular o interesse investigativo de cada aluno, relacionando os conteúdos científicos a práticas de seu dia a dia. Também, fomenta o trabalho em equipe e a liderança, pois os experimentos podem ser todos realizados em grupos pequenos, aumentando a cooperação entre alunos.

É uma ferramenta científica que ajuda a tornar as aulas mais dinâmicas, sem perder a ludicidade necessária para os alunos do Ensino Fundamental. Por fim, é uma forma eficiente de investir na formação científica básica dos alunos, fazendo com que estejam mais preparados para os conteúdos refinados do Ensino Médio.

Clique aqui e faça o download do experimento “Determinação experimental da vantagem mecânica da roldana móvel”.

Quer saber mais sobre o kit de Ciência da Homelab? Acesse nosso site.

Compartilhe Tags
0 comentários

O conjunto de vidraria Homelab é um material completo para ser utilizado no estudo da química e os mais variados níveis de experimentos de laboratório. As vidrarias são temperadas, o que garante maior resistência durante as experiências. Também, composta de 156 peças, permite que até 40 alunos dividam o material durante as aulas práticas de química.

É composta por bastão de vidro, Becker de 250 ml e de 600 ml, conta gotas com tetina, Erlenmeyer de 250 ml, pipeta graduada de 10 ml, placa de Petri de 100×20 mm, proveta graduada de 100 ml e de 50 ml, tubos de ensaio de 15x150mm e de 20×200 mm. Esses materiais de laboratório são indispensáveis para qualquer aula prática de química e ajudam os alunos a realizar os experimentos que aprendem na teoria dentro dos livros.

É importante, principalmente durante o Ensino Médio, que os alunos sejam capazes de transpor para a realidade as equações químicas que eles aprendem na teoria. Por isso, o conjunto de vidraria da Homelab é parte necessária para qualquer instituição de ensino que deseje uma formação mais completa de seus estudantes, oferecendo a infraestrutura desejável para transpor a química da teoria à prática. Isso cativa os estudantes e diminui o bloqueio de aprendizado que conceitos teóricos muitas vezes contêm, dando aos alunos a chance de sentirem-se cientistas dentro das aulas práticas de química.

Conheça o conjunto de vidraria da Homelab e torne o ensino da química ainda mais interessante e didático dentro da sua escola.

Conjunto de Vidraria Homelab

Conjunto de vidraria Homelab
Gostou? Saiba mais acessando este link.

Quer conhecer mais sobre os equipamentos de ciências da Homelab? Acesse nosso catálogo!

O solo é um grande filtro. Toda vez que é encharcado, a água dissolve os sais minerais nele presentes, fazendo com que as plantas os absorvam. A eficácia de retenção da água depende do tipo de solo. Uma experiência interessante para demonstrar essa capacidade filtradora do solo é utilizá-lo como filtro de água suja. Com o kit de ciências da Homelab, você terá em mãos os materiais necessários para a atividade.

Materiais:

— Coador de café

— 2 Filtros de café

— Carvão

— Areia

— Cascalho

— Frasco de vidro

— Água suja

Procedimento: primeiro, vamos tentar montar as camadas do solo dentro do coador de café, utilizando um dos filtros de café, o carvão, a areia e o cascalho. Comece posicionando o filtro dentro do coador. Esfarele o carvão, cobrindo bem o fundo. Forme uma segunda camada, espalhando a areia sobre o carvão e depois uma terceira camada com o cascalho. Então, posicione o coador dentro do frasco de vidro. O outro filtro de café será disposto por cima do coador.

Comece coando a água suja com cuidado sobre o primeiro filtro de café. As partículas maiores ficarão retidas nele. As partículas menores se depositarão no cascalho e as ainda menores ficarão retidas na areia, no cascalho e no filtro de café. A água filtrada irá aparecer no frasco de vidro.

Mesmo assim, essa água não ficará totalmente transparente e potável, pois uma purificação completa só pode ser obtida em estações de tratamento de águas residuais, que remove também as bactérias presentes. No entanto, a experiência comprova o poder filtrador do solo e como isso influi na nutrição das plantas.

Compartilhe Tags
0 comentários

Cópia de IMG_7595

Um laboratório é um local muito complexo, cheio de oportunidades dinâmicas de aprendizado, as quais pedem diversos materiais e profissionais muito bem preparados para lidar com os equipamentos e os estudantes, assim garantindo que a matéria seja compreendida por todos. 00

  1. Vidrarias:

    Conjunto de vidrarias é essencial para que os experimentos sejam realizados, afinal, não é qualquer recipiente que pode ser utilizado em experiências e por isso, se torna um material fundamental em qualquer laboratório de química.

  2. Balança de precisão:

    Outro produto substancial para qualquer verdadeiro laboratório é a balança de precisão. Além de este material permitir que diversos experimentos de diversas áreas sejam realizados durante as aulas, ele ainda ajuda a demonstrar que a exatidão e a atenção aos mínimos detalhes é essencial dentro da química.
     
  3. Produtos para as experiências:

    Materiais como os conjunto de ácidos, reagentes e solventes são indispensáveis para qualquer laboratório, afinal, são itens primordiais para a execução de incontáveis experiências e fazem parte da matéria teórica dada em sala de aula.

  4. Lava olhos:

    A segurança dos estudantes jamais deve ser menosprezada, por isso equipamentos como o Lava olhos portátil ou o Chuveiro lava olhos são obrigatórios, exatamente por garantirem a segurança de todos no local em caso de algum acidente. Afinal, a intenção é manter o ambiente escolar seguro e educacional, jamais torná-lo perigoso.

  5. Corantes:

    O Conjunto de corantes, além de ser essencial em alguns experimentos, pode auxiliar a facilitar visualização da atividade pelos alunos e deixar outras experiências mais dinâmicas e divertidas. Lembrando que a função de aulas laboratorias é exatamente trabalhar com estes itens, a dinamicidade do conteúdo e permitir a visualização do mesmo para assim facilitar a memorização e compreensão da matéria.

Construir um bom laboratório exige diversos materiais além de ótimos profissionais que saibam como lidar com o que é fornecido no ambiente laboratorial de forma educativa e segura, por isso, muitos optam por obter o Conjunto básico para laboratório, ou, se procuram uma opção mais completa, a Unidade Mestra Química com Sensores, Software e Interface que permitem uma experiência ainda mais ampla dentro de um laboratório, graças a sua grande variedade de materiais!

IMG_8308Assim como em muitos outros conteúdos, o pH não pode – normalmente – ser observado, o que faz com que muitos estudantes fiquem confusos e acabem nunca realmente aprendendo o que é o pH, apenas decorando superficialmente os dados que fazem parte do tema. Além disso, a numeração utilizada para denominar se algo é ácido, neutro ou básico também pode ser um fator causador de dúvidas. Por isso o medidor de pH acaba se tornando um elemento essencial, exatamente por ultrapassar a barreira do “não pode ser visto” e mostrar na prática o que os alunos já leram em seus livros e apostilas.

Antes de abordarmos sobre como utilizar um Medidor de pH em sala de aula, devemos lembrar o que o resultado que o medidor vai entregar realmente significa:

  • Solução neutra:

        pH igual a 7

  • Solução ácida:

       pH entre 0 e 7

  • Solução básica:

       pH  entre 7 e 14.

Estes são, respectivamente, os valores e o que significa cada pH à 25ºC. Para que a questão da temperatura não se torne um problema durante a explicação, o pHmetro da Homelab já faz a compensação automática da temperatura, facilitando o trabalho do professor na hora de usar o aparelho didaticamente.

phmetro-portatil

Algumas soluções que podem ser usadas com o pHmetro para demonstrar o conteúdo e a diferença das soluções básicas, neutras e ácidas em sala são:

pH Neutro:

A água destilada e pura possui pH neutro e pode ser utilizada como solução neutra, além disso, a Homelab disponibiliza um destilador de água que pode auxiliar nessa atividade, assim como em outros inúmeros experimentos que pedem água destilada.

pH ácido:

Além dos mais clássicos que fazem parte do conjunto de ácidos, outros exemplos de soluções que podem ser usadas são os sucos cítricos, como os de laranja e de limão.

pH básico:

Dois exemplos muito comuns quanto ao pH básico são o bicarbonato de sódio e hidróxido de magnésio.

O uso do medidor de pH deixa a aula muito mais dinâmica, divertida, explicativa e memorável. É desse modo que a Homelab promove e proporciona que os alunos compreendam melhor a matéria, tirem dúvidas que a teoria havia deixado e ainda impacta positivamente no processo de memorização e na criação do interesse pelo tema! Confira aqui outros materiais que a Homelab pode oferecer para a sua instituição de ensino, os quais também transformam as aulas e impactam positivamente a qualidade da educação!

Compartilhe Tags
0 comentários

IMG_7599O estudo da estrutura de moléculas pode acabar se tornando algo muito complicado e que gera grande dificuldade de aprendizado entre os alunos. São muitas informações novas sendo apresentadas ao mesmo tempo, diferenças estruturais que mudam tudo de uma molécula para a outra, mas que – no geral – não podem ser visualizadas pelos alunos. Além disso, esta é uma matéria que trata de uma estrutura em 3 dimensões, por isso mesmo deve ser explicada de modo mais visual e não apenas em ilustrações em 2D que não contemplam toda a sua complexidade. É apenas questão de usar as características da matéria a favor da melhor compreensão possível do conteúdo!

A realidade é que, de início, as representações das moléculas em 2D podem até mesmo confundir o aluno quanto à verdadeira estrutura molecular. Por isso é indicado introduzir a matéria com um modelo molecular em 3D, o qual permita um maior aprofundamento na hora de estudar o conteúdo.

modelo-molecular-avancado-organica-e-inorganica-com--pecas

A grande vantagem do modelo molecular é o fato de que ele permite que o aluno visualize, toque e interaja com o conteúdo, o que já ajuda de maneira imensurável na memorização e verdadeira compreensão do assunto, e ainda mais, após o aluno compreender a estrutura de forma mais realística (em 3D), fica muito mais fácil a interpretação e compreensão das representações das mesmas em 2D, que, no final, vai ser cobrado em provas e vestibulares. Ou seja, o estudante deixa de apenas decorar as figuras em 2D e seus significados e começa a realmente compreender o que cada um significa e representa.

A Homelab sabe da importância da visualização da matéria, de aulas dinâmicas e práticas durante o complicado processo de aprendizado e trabalha sempre sob os ideais de uma educação em constante evolução. É por esse motivo que a Homelab oferece materiais que trabalham com essa questão em diferentes áreas, tais como Ciências, Química, Biologia, Matemática, Geografia e História, focando sempre em diminuir a dificuldade de aprendizado dos estudantes.

IMG_7615Algumas das maiores vantagens de um professor realizar experiências como parte do processo educacional são: aumento de interesse dos alunos pela aula, quebra da rotina padrão de sala de aula, a surpresa dos alunos com o resultado dos experimentos, a atividade ajuda na criação de uma memória de longo prazo e ainda facilita que o aluno compreenda a matéria graças a visualização do conteúdo!

Porém o aumento de interesse dos alunos pela aula, o auxílio na criação de uma memória de longo prazo e a maior facilidade para que o aluno compreenda a matéria em questão estão todas diretamente ligadas ao fator da surpresa, de sair da rotina e de todo o entretenimento criado pelas experiências!

Sabendo disso, a Homelab separou alguns experimentos que com certeza vão ficar marcados na memória dos alunos e que ainda podem auxiliar o professor a introduzir, explicar e tirar dúvidas quanto a matéria em questão e no caso dessas experiências, suas reações químicas.

Água furiosa:

Para a execução desse experimento, são necessárias vidrarias, o azul de metileno e os reagentes, soda cáustica e glicose.

Fogo colorido:

Já para o fogo colorido, materiais como o sulfato de cobre podem ser encontrados no conjunto de reagentes, já os utensílios em si fazem parte do conjunto básico para laboratório.

Cristais instantâneos:

Uma das experiências mais surpreendentes e ao mesmo tempo, mais simples de serem realizada, é a dos cristais, os quais se formam em menos de 5 minutos. Ela permite que além de realizar a atividade, o professor possa se aprofundar na explicação, tudo isso dentro de um curto período de tempo!

Para colocá-la em prática é necessário o Tiossulfato de Sódio, o qual também faz parte do conjunto de reagentes oferecido pela Homelab.

Já trabalhamos por aqui com vários outros experimentos, os quais podem ser realizados com a ajuda de diversos outros materiais, como solventes, por exemplo.

Como sempre, a Homelab tem consciência da importância de aulas práticas no dia-a-dia dos estudantes pois sabe que ao deixar as aulas mais dinâmicas, a compreensão do conteúdo fica mais fácil, permitindo assim um desempenho acadêmico ainda mais alto. Por esse motivo investe em materiais dinâmicos para as áreas de Ciências, Química, Biologia, Matemática, Geografia e História.

IMG_7606

Aulas dinâmicas impactam de modo positivo o aprendizado dos estudantes, principalmente quando a matéria em questão é repleta de conceitos complexos, assim como a química. Ser capaz de ver na prática as teorias dadas em sala de aula facilitam a – muitas vezes difícil – tarefa de assimilar a matéria, incentivar a curiosidade dos estudantes sobre o assusto em pauta, auxiliar no esclarecimento de dúvidas e de criar um real interesse pela área já que ela que fica mais interessante aos olhos dos estudantes. Um laboratório de química cumpre todas essas funções, mas, podemos ir além ao lembrarmos que a química é uma ciência experimental, ou seja, incentivar os alunos à realizar experimentos deveria ser algo natural.

A seguir será possível conferir algumas questões importantes na hora de montar um laboratório de química.

Segurança

Como sabemos, reações químicas podem ser perigosas, por esse motivo existem regras de segurança que devem ser seguidas na hora da construção de um laboratório de química. Com a intenção de aproveitar o máximo do laboratório de química, as regras de segurança devem ser levadas em conta e ganharem a devida atenção. Para prevenir acidentes, o projeto deve sempre ser feito por um profissional com muita responsabilidade. Toda a estrutura deve ser feita considerando a segurança do profissional e dos alunos que ficarão naquele ambiente. Se tais regras forem levadas a sério e aplicadas no local, os alunos e professores vão estar sempre seguros no ambiente em questão, assim, ajudando a criar um ambiente ideal para o aprendizado e ainda assim, divertido.

Algumas das diretrizes de segurança focadas na estrutura do laboratório são:

  • Paredes claras, foscas, impermeáveis, resistentes ao fogo e à elementos químicos;
  • Piso impermeável, antiderrapante e sem variações na sua estrutura que possivelmente atrapalhem a movimentação de pessoas e materiais;
  • Portas devem ser posicionadas estrategicamente para garantir a maior segurança possível e seus acabamentos devem ser feitos de um material que retarde o fogo em caso de emergência;
  • As janelas devem ter um sistema que controle os raios solares (como por exemplo, persianas metálicas), é preciso tomar cuidado para que o material usado para essa tarefa não seja inflamável;
  • Os reagentes devem ser armazenados com segurança em um local ventilado, amplo e com instalações elétricas à prova de explosões;
  • Para evitar possíveis danos físicos caso ocorra uma emergência, é sempre importante ter dentro do laboratório o chuveiro e o “lava-olhos”.

A segurança vai além da estrutura, as recomendações se prolongam para a segurança pessoal de todos os presentes no laboratório. Algumas das indicações são sempre usar:

  • Sapatos fechados;
  • Calça comprida;
  • Luvas especiais para a atividade específica que vai ser desenvolvida (em laboratórios de ensino, normalmente são luvas de látex ou PVC);
  • Óculos de proteção;
  • Aventais de manga comprida feitos de algodão.

Algumas situações que prejudicam a segurança pessoal no ambiente laboratorial são:

  • Usar lentes de contato;
  • Usar anéis;
  • O uso de shorts e calçados abertos é proibido;
  • Deixar o cabelo solto (o recomendado é sempre manter o cabelo preso e possivelmente com a touca de proteção);
  • Ingerir alimentos ou fumar no ambiente.

Lembrando que o professor ou o responsável pelo laboratório deve sempre explicar aos estudantes todas as regras de segurança e deixar claro que é de uma importância sem precedentes segui-las. Garantir a segurança não vai fazer com que a aula seja menor interessante ou dinâmica.

Equipamentos e materiais

Um laboratório de química precisa de equipamentos e materiais. São eles que no dia-a-dia vão garantir o aprendizado mais eficiente (que ocorre graças a essa junção de aulas teóricas e práticas).

1

A Homelab oferece o conjunto básico para laboratório com 57 peças. Ele é destinado ao aprendizado na área da química em qualquer nível de ensino. O conjunto é composto por alguns reagentes, vidrarias e ferragens que permitem que o professor dê aulas demonstrativas e práticas (no laboratório ou até mesmo em sala de aula, se necessário).

O conjunto de reagentes com 70 peças da Homelab amplia as opções dentro do laboratório. Este conjunto vem com a quantidade adequada nos frascos, visando evitar o desperdício, além de oferecer a comodidade de encontrar todos os materiais em um único lugar. Estas aulas práticas também podem se estender para até 40 alunos com a ajuda do conjunto de vidrarias com 156 peças. Todas as vidrarias são temperadas e permitem que atividades práticas de coletas de dados e comprovação de teorias sejam realizadas pelos estudantes.

Tudo isso tem como função viabilizar que os alunos presenciem os fenômenos químicos, permitindo que eles tenham uma maior fixação do conteúdo, criem interesse pela área e ainda permitir que o professor estruture uma aula interativa, dinâmica e que ajude os estudantes à desenvolver habilidades como a capacidade de resolver dilemas, problemas e tirar conclusões de forma independente.

Disponibilizar um laboratório de química na sua escola é um grande diferencial. É um investimento financeiro que reflete em forma de uma estrutura física de qualidade e também no desenvolvimento dos alunos no quesito didático. Aulas práticas como as que acontecem em laboratórios, promovem a oportunidade de o aluno vivenciar a matéria e lhes dá a condição perfeita para chegar a conclusões por conta própria. Essa atitude gera um impacto positivo na própria motivação dos alunos sobre as aulas em questão e inclusive, na confiança do aluno em si mesmo diante da matéria escolhida, no caso, a química.

Aulas práticas no laboratório dão a oportunidade dos estudantes verem a face prática do dia-a-dia da química, além de mostrar um lado mais divertido e dinâmico que vai além de números, letras e símbolos. A Homelab disponibiliza muitos outros equipamentos e materiais, formando uma linha completa que inclui tudo o que uma instituição de ensino precisa para montar um laboratório de qualidade e incentivar cada dia mais a qualidade e inovação no ensino.

IMG_8056

A Feira de Ciências da escola é a grande oportunidade de mostrar a pais, colegas e à comunidade os trabalhos científicos elaborados pelos alunos. Mais do que um bom exercício pedagógico, as feiras ajudam a despertar o interesse pelas ciências, em especial Química, Física e Biologia, além de promover a cooperação entre os alunos, aguçar o senso crítico e proporcionar interação entre a comunidade e a escola.

Com certeza o ensino teórico e expositivo é importante para se entender as ciências, porém é com a experimentação que os estudantes percebem como as coisas funcionam e a aplicabilidade de todo o conteúdo que foi estudado. Desse modo, percebemos que experimentar e aprender estão intimamente ligados.

Sendo assim, a realização de uma feira de ciências na escola é uma grande oportunidade para que os alunos trabalhem os conceitos vistos em sala de aula na prática, se engajando e se dedicando em prol da ciência.

Tal evento é uma ferramenta extremamente importante para o desenvolvimento de habilidades e capacidades sociais e cognitivas essenciais para a vida, como senso de equipe, organização, liderança, autonomia e concentração.

Vale ressaltar ainda que as feiras de ciências evoluíram muito nos últimos anos. A reflexão sobre os moldes do ensino atual impactaram o modo como o evento é realizado. Se a imagem de feira de ciências que você tem na cabeça ainda envolve estandes, maquetes e alunos repetindo textos decorados, saiba que isso mudou.

Hoje, as feiras são mais complexas e focam em despertar o interesse dos estudantes pelas ciências, criando uma dinâmica moderna em que os alunos aprendem e transmitem conhecimento aos seus colegas.

A organização de uma feira de ciências demanda tempo dos professores e da coordenação da escola. São eles os responsáveis por definir cronogramas, criar normas, cuidar da segurança e orientar alunos e turmas no desenvolvimento dos projetos.

Pensando nisso, confira a seguir alguns pontos essenciais na hora de organizar uma feira de ciências na sua escola.

Planejamento

O primeiro passo na organização do evento é despertar o interesse das turmas pela ciências. Para isso, uma boa sugestão é agendar a feira para o final do ano. Com isso, desde o início do período letivo é possível planejar atividades e metodologias que envolvam aulas em laboratório, visitas técnicas e outros exercícios práticos que ajudem os alunos a visualizar tudo aquilo que viram em sala de aula, despertando a vontade no fazer científico.

Além disso, o evento em si demanda tempo e antecipação. Para organizar uma boa feira de ciências, trabalhe com, ao menos, quatro meses de antecedência para organizar todos os detalhes e dar tempo para o desenvolvimento dos projetos, aquisição de materiais etc.

Esse tempo será importante também para decidir que tipo de feira a instituição deseja realizar: fechada aos alunos, pais e professores, entre colégios ou até mesmo municipal.

Temas

Estamos acostumados ao padrão de feiras bem amplas e com uma variedade imensa de temas abordados. Isso é ótimo, uma vez que proporciona uma troca de novos conhecimentos muito importante.

Porém, a feira de ciências pode ganhar muito se forem definidos temas específicos para cada edição. Para isso, uma boa sugestão é a abordagem de assuntos locais, mesmo ligando-os a contextos globais.

Se o assunto definido for fotossíntese, por exemplo, os alunos podem abordar temas como poluição do ar ao mesmo tempo que discutem a quantidade de árvores na cidade em que vivem.

A proximidade dos assuntos tratados ajuda a gerar mais interesse dos estudantes e também da comunidade, que passam a ver como determinado tema impacta diretamente suas vidas.

Objetivos

Uma feira de ciências vai muito além de temas interessantes e apresentações cativantes. Todo evento deve ser planejado com um objetivo a ser alcançado.

Seja para divulgar os resultados das atividades escolares, integrar a comunidade à escola, estimular a criatividade e o interesse pela ciência, a feira deve ter metas a serem alcançadas como resultado de todo o trabalho realizado.

Apresentações

Definidos os temas com antecedência e realizado o trabalho de despertar o interesse científico nos alunos, é hora de planejar as falas de cada turma. Como dissemos, os moldes de textos decorados ficaram para trás. O que vale é a discussão e a compreensão dos temas tratados.

Sendo assim, durante o desenvolvimento dos projetos, auxilie os estudantes a entender sobre aquilo que estão falando. Quanto mais eles estiverem familiarizados com os conceitos que trabalharão, mais fluidas serão as falas, tornando a apresentação mais interesse e compreensível a todos os presentes. O aluno que domina o conteúdo tem a capacidade de tirar possíveis dúvidas que surgirem, ajudando ainda mais a engajar e interessar a comunidade.

Como dissemos, prática e aprendizado andam de mãos dadas. Sendo assim, o laboratório de Ciências é o ambiente ideal para a realização de atividades que despertem o interesse dos alunos pelas ciências, estimulando-os na hora do desenvolvimento de projetos para a feira da escola. Afinal, trata-se de um espaço educativo, que serve como ligação entre teoria e prática dos conteúdos escolares.

A Homelab fornece uma completa linha de produtos e acessórios científicos que podem auxiliar a sua escola, seja na montagem do laboratório ou nos projetos da feira de ciências.

Também oferecemos gratuitamente uma série de conteúdos com experimentos e práticas que podem ser utilizadas no evento ou no dia a dia da escola. Ficou interessado? Acesse o nosso site, conheça nossas soluções e faça um orçamento!

Nas escolas do Brasil, os laboratórios de ciências são, infelizmente, uma raridade de se encontrar. Para se ter uma ideia, de acordo com o último Censo Escolar do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) feito em 2016, apenas 25% das escolas de Ensino Fundamental do país possuem um espaço dedicado às aulas práticas e experimentações em Ciências.

O laboratório é um lugar especialmente projetado para um trabalho eficiente e satisfatório das diferentes ciências, como Química, Física e Biologia. São espaços que proporcionam pesquisas e experimentações, sendo importantes recursos pedagógicos para complementar os conceitos teóricos estudados em sala de aula. É por meio das aulas experimentais que o educador pode demonstrar aos estudantes a aplicação prática desses fundamentos, estimulando-os ao estudo das ciências e desenvolvendo suas capacidades investigativas e cognitivas.

O laboratório também serve como importante ferramenta para promover a interdisciplinaridade, uma vez que permite o estudo de conceitos de diferentes áreas do conhecimento. As aulas práticas e experimentais proporcionam ao professor realizar uma melhor avaliação dos estudantes em relação aos domínio dos conteúdos estudados, servindo como indicador do que pode ser melhorado e do que está funcionando.

Aulas em laboratório podem ser desenvolvidas com diferentes objetivos. Da demonstração de diferentes reações à comprovação de hipóteses, existe uma infinidade de atividades a serem realizadas no ambiente laboratorial. A experiência como recurso didático deve partir sempre do elo entre os conhecimentos práticos e teóricos, de modo que proporcione ao aluno um aprendizado crítico e consciente, incentivando a autonomia e a criação de soluções próprias para os problemas propostos.

Além disso, ao contrário do modelo tradicional em sala de aula, o foco, aqui, não é o professor, mas o experimento que está sendo feito. Essa didática permite uma maior interação entre educadores e estudantes e entre os próprios alunos, otimizando os resultados alcançados no processo de ensino e aprendizagem.

Nesse contexto, confira a seguir 5 materiais essenciais que não podem faltar no laboratório de ciências da sua escola e, assim, garantir os benefícios de um ensino mais completo e dinâmico.

1. Microscópio Óptico

1

Sucesso entre os alunos, o microscópio é utilizado na observação de amostras, sendo um dos itens essenciais em um laboratório de ciências. Não há necessidade de ser um equipamento sofisticado. Com modelos mais acessíveis já é possível realizar experimentos com eficiência, trazendo uma nova perspectiva aos estudantes. Para que todos participem, o ideal é que haja ao menos um equipamento para cada quatro alunos.

São diversos os modelos disponíveis no mercado, que atendem a diferentes públicos. Para ajudar você na hora da escolha, confira nossa linha de microscópios e acessórios e veja o equipamento que melhor se adequa às suas necessidades.

2. Instrumentos de Medição

2

Precisão é algo fundamental em experimentos científicos. Seja para medir o peso ou marcar o tempo, equipamentos que realizem uma medição precisa são itens fundamentais em qualquer laboratório. Os principais são:

  • Balança: usada para medir a massa das amostras envolvidas na experiência. De preferência, escolha os modelos digitais e de alta precisão.
  • Termômetro: serve para medir a temperatura das substâncias e materiais utilizados. Fique atento! Foi proibida a venda de termômetros de mercúrio no Brasil. Por isso e para garantir maior precisão nas medições, prefira os modelos digitais.
  • Cronômetro: utilizado para medir o tempo, outra variante importante na realização de experiências, especialmente nos procedimentos que envolvem aquecimento e reserva de substâncias.

3. Utensílios de Vidro

3

As vidrarias são itens primordiais em um laboratório, servindo para misturar soluções, medir, aquecer ou transferir líquidos com precisão. Os utensílios de vidro que não podem faltar são:

  • Béquer: serve para dissolver substâncias, realizar misturas e reações e aquecer líquidos. É uma das vidrarias mais comuns em laboratórios.
  • Balão de Fundo Chato: é usado para armazenar, preparar e aquecer soluções. Também pode ser utilizado em reações que desprendem gases.
  • Erlenmeyer: frasco utilizado para aquecer líquidos, preparar e guardar soluções.
  • Proveta: serve para a medição precisa de líquidos e para transferi-los para outro recipiente.
  • Pipeta: utilizada para medir, coletar e transferir líquidos com precisão.
  • Tubo de Ensaio: bem conhecidos pelos estudantes, são usados para dissolução de substâncias, reações químicas em pequena escala e coleta de amostras.

Esses são alguns dos utensílios de vidro mais utilizados em laboratórios, porém existem muitos outros que podem oferecer novas utilidades e variações aos seus experimentos. Conheça nosso conjunto de vidraria, com mais de 150 peças para deixar o laboratório ainda mais completo!

4. Equipamentos para Aquecimento

4

O calor é outro componente muito comum nos experimentos científicos. Seja para dissolver soluções, evaporar líquidos ou apenas aquecê-los, alguns instrumentos para um aquecimento eficiente e seguro não podem faltar no seu laboratório. São eles:

  • Bico de Bunsen: fonte de calor a gás e com chama variável. É utilizado para aquecer materiais não inflamáveis.
  • Tela de Amianto: é usada para evitar o contato direto entre a chama do Bico de Bunsen e o recipiente que será utilizado, ajudando na distribuição uniforme do calor.
  • Tripé: utilizado para apoiar a tela de aquecimento e também para sustentar instrumentos com fundo irregular ou redondo.

5. Pisseta

5

Apesar de simples, esse é um dos materiais fundamentais para qualquer laboratório. A pisseta é um frasco feito de plástico que geralmente contém água destilada, álcool ou outro solvente, sendo utilizada na lavagem de outros recipientes por meio de jatos.

A montagem de um laboratório pode custar caro, mas isso não deve ser um obstáculo. Com pequenas adaptações e alguns poucos equipamentos acessíveis e fáceis de conseguir já se pode, ao menos, realizar alguns experimentos mais básicos, porém fundamentais para ajudar os alunos nos estudos e na prática das ciências.

A Homelab oferece uma completa linha de produtos científicos e acessórios que podem auxiliar você na montagem de um laboratório completo. Todos os itens que citamos podem ser encontrados na nossa exclusiva Linha Homelab. Acesse o nosso site, conheça nossas soluções e faça um orçamento!